F

Acabou de sair

 https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2018/02/resenha-sonata-em-auschwitz-de-luize.html  https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2018/02/sorteio-folia-literaria-2018.html  https://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2018/01/resenha-antes-da-tempestade-de-dinah.html

O que você procura?

05 fevereiro 2018

Resenha | Insana - Meu mês de loucura, de Susannah Cahalan

Título: Insana
Subtítulo: Meu mês de loucura
Autora: Susannah Cahalan
Editora: Belas Letras
Gênero: Não ficção
Páginas: 300
Ano: 2015
Skoob

(cortesia da editora)

Sinopse: Uma jovem jornalista com uma carreira promissora em Nova York se vê aprisionada em sua própria insanidade com uma doença que nenhum médico consegue diagnosticar. A rotina no jornal onde ela trabalha é substituída por inexplicáveis alucinações, surtos e ataques de paranoia - os mesmos sinais atribuídos a casos de possessão. Poderia se tratar de um episódio de House, mas é a história de Susannah Cahalan, que escreve o período de terror em que se transforma em desconhecida para si mesma e seus familiares. Sem poder contar com a memória para escrever sua reportagem mais difícil, Susannah recorre aos próprios rascunhos do período em que esteve doente, além de relatos de médicos, familiares, namorado e documentos para construir um drama psicológico sobre os caminhos misteriosos e assustadores do nosso próprio cérebro.



Insana, publicado pela Editora Belas Letras é um livro que queria ler há tempos. Susannah Cahalan é a autora e grande protagonista dessa história chocante e real. Tudo estava perfeitamente bem na sua vida: uma carreira promissora em um jornal em Nova York, uma vida independente, um novo namorado... Até que do nada Susannah começa a mudar seu comportamento. Alucinações cada vez mais frequentes, convulsões, surtos e ataques de paranoia. O seu comportamento estava assustando cada vez mais a todos, principalmente por nenhum médico conseguir diagnosticar o que ela tinha, já que todos seus exames demonstravam uma jovem saudável. Para contar essa história, Susannah recorre aos seus rascunhos na época em que esteve internada, relatos de familiares e médicos, uma vez que ela não se lembra do período em que esteve no hospital. As câmeras do hospital revelam uma completa e assustadora desconhecida para ela, e como uma rara doença pode transformar nosso cérebro.


Susannah escreve sua história em primeira pessoa e com uma narrativa rica em detalhes. A leitura flui muito bem, não apenas pela narrativa clara e confortável, mas pela ânsia em que desejamos avançar as páginas e descobrir que doença horrível era aquela, capaz de mudar totalmente a personalidade de uma pessoa. Ficamos intrigados a cada capítulo, pois a autora não esconde nada e nos deixa impressionados com seu relato.

Não irei comentar sobre a doença e outros detalhes médicos, já que isso é essencial ser descoberto durante a leitura. Mas é importante dizer o quanto tudo é chocante. O comportamento dela facilmente nos lembra sinais de possessão. Imagina uma pessoa saudável que do nada começa a ter convulsões esquisitíssimas, se torna violenta com as pessoas ao redor, fica parada horas olhando para um mesmo ponto, entre outros sintomas bem perturbadores. 

O interessante no livro é que ao mesmo tempo que você se admira com tudo isso, você também se comove. Não apenas pelo sofrimento da família, mas principalmente com o respiro pela descoberta da doença, finalmente. Outro ponto que nos envolve na leitura são as explicações biológicas para o mês de loucura que Susannah passou internada. Ela nos fornece informações médicas preciosas para que não fiquemos perdidos e para entendermos todo o seu drama. O que mais gostei no livro foi essa mistura de informações biológicas com os sentimentos reais da protagonista. E isso não torna a leitura em nenhum momento cansativa. 

"A garota no vídeo é uma lembrança de como são frágeis nossa sanidade e nossa saúde, e também de quanto estamos à mercê de nossos corpos traidores, que algum dia, inevitavelmente, se virarão contra nós. Sou uma prisioneira, como todos somos. E a consciência disso vem acompanhada de uma dolorosa sensação de vulnerabilidade." (p. 262)

Insana é um livro dramático, comovente e perturbador. Admiro a coragem que Susannah teve para contar sua história, tornando possível que outras pessoas conheçam essa doença, que muitas vezes é diagnosticada de forma errada por ser desconhecida pela maioria dos médicos. Quem gosta de relatos médicos e histórias verídicas precisa ler esse livro. Eu garanto que é insanamente viciante!

Onde comprar: Amazon




Nenhum comentário:

Postar um comentário