F

26 junho 2017

Resenha | Uma vez, de Morris Gleitzman

Título: Uma vez
Autor: Morris Gleitzman
Editora: Paz & Terra
Gênero: Ficção/InfantoJuvenil
Páginas: 160
Ano: 2017
Skoob

(Cortesia da editora)

Sinopse: Todo mundo merece ter alguma coisa boa na vida pelo menos uma vez. Felix Salinger, um menino judeu que mora na Polônia, adora ler e é ótimo em escrever e contar histórias. E é isso o que ele mais faz enquanto espera, num orfanato católico, o pai e a mãe, que foram cuidar da livraria da família. Uma vez, na fila do jantar, Felix ganhou uma sopa com uma cenoura inteira. Naqueles tempos em que era impossível até mesmo ter pão fresquinho no café da manhã, uma cenoura inteira só podia ser um sinal. A mensagem ficou mais clara quando livros judeus da biblioteca do orfanato foram transformados em uma imensa fogueira. Seus pais e a livraria da família estavam em perigo. O garoto sabia que precisava voltar para casa para ajudá-los. Assim começa a jornada de Felix por um país tomado por soldados nazistas, vizinhos delatores, mas também por pessoas dispostas a ajudar. A incrível imaginação do garoto é sua melhor companhia para compreender a terrível realidade que o cerca. Este é um livro especial, que nos faz testemunhas do horror do Holocausto pelo doce e inocente olhar de uma criança. É uma história delicada, que nos faz pensar sobre intolerância, racismo, abuso de poder, perda e luto. Mas que também afirma o poder da amizade, da perseverança e da literatura para construir um mundo melhor.



Uma vez, do escritor Morris Gleitzman é um livro infantojuvenil que conta a história fictícia de um garoto judeu que presenciou a violência do Holocausto. Felix Salinger foi deixado pelos seus pais em um orfanato católico, onde já estava por três anos e oito meses mantendo seus segredos: é judeu e seus pais um dia virão buscá-lo. Em 1942, em um dia comum no jantar, Felix recebe em seu prato uma cenoura inteira, o que imagina ser um sinal de seus pais avisando que logo eles irão buscá-lo. Após isso, uma pilha de livros é queimada pelos soldados nazistas no orfanato, o que reforça que a livraria de seus pais está em perigo, e que ele precisa estar pronto para ir embora. Ele precisa voltar para casa. Assim começa a jornada de um garoto em busca de seus pais, em um país cheio de nazistas. Felix terá que usar muito a imaginação - sua melhor aliada - para inventar suas histórias e esquecer as cenas que verá em sua jornada.


A história de Felix é narrada pelo próprio, de uma maneira leve e simples. A escrita do autor traz um ar de inocência de uma criança judia em plena Segunda Guerra Mundial. Em sua jornada surgirá novos personagens, o que aumentará a dose de inocência dessa história. Portanto, é muito fácil gostar de Felix e de todos os personagens secundários desde o início, e torcer para que a verdade dos fatos não os machuquem - algo quase impossível. 

O que mais chama atenção no livro é a maneira com que Felix vê os acontecimentos que presencia. Desde as primeiras páginas vemos como ele cria histórias em sua mente, que parecem ser inventadas como uma forma de se enganar diante da realidade. Ou talvez ele realmente acredite naquilo. Isso torna a leitura um pouco dolorosa. A exemplo, ainda no início, Felix cita Hitler em suas pequenas orações de agradecimento. Isso nos leve a pensar na quantidade de crianças que desconheciam a verdade, e acreditavam no que ouviam dos adultos. Dessa forma, achei genial como o autor criou esse protagonista infantil, sem maldade, cheio de inocência e esperança de encontrar os pais. E de tanto Felix contar histórias, o autor deixa o desfecho por conta da nossa imaginação. Um final reconfortante.

Uma vez é um livro leve, rápido, com poucas páginas e que foi escrito para jovens, mas pode e deve ser lido por todos. Ele também fala de amizade e como ela pode sobreviver ao caos. Por mais que você esteja cansado de ler livros que tenham a Segunda Guerra Mundial como pano de fundo, vale conferir essa história. O ar de inocência de Felix diante do nazismo é doloroso. Porém, não torna a leitura densa, somente comovente. Amei!

" - Tudo bem - diz ele baixinho. - Vou falar a verdade. Comprei as botas porque todo mundo merece ter alguma coisa boa na vida pelo menos uma vez." (p. 120)

Morris é bastante conhecido na Austrália por seus livros infantojuvenis e gostaria de conferir outras obras suas. 

Compare e compre: Buscapé






Gostou do livro? Comprando o livro através dos links dessa postagem você contribui com o Livros, vamos devorá-los.

23 comentários:

  1. Nossa, esse livro me chamou a atenção logo de cara. Gosto muito dos livros em que as protagonistas são crianças, justamente por mostrar essa inocência. E juntando com o tema "segunda guerra mundial", é impossível não me chamar ainda mais atenção!
    Sem dúvidas um livro que ganhou espaço na minha lista de leitura.
    Sua resenha ficou ótima também!
    Parabéns e até a próxima!

    Blog Literaleitura.

    ResponderExcluir
  2. Oi Letícia, eu não sei os outros, mas eu não me canso com enredos que rematam a 2º guerra mundial, ainda um bom como este parece ser. Dica anotada.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite!
    Gostei bastante do que li aqui, já que adoro livros que se passam na 2ª Guerra.
    A inocência do Felix é realmente tocante, acho que me sentiria mal o livro todo por conta dela.
    Fiquei bastante interessado no livro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Oiii Leticia tudo bem?
    Menina eu fiquei completamente envolvida pela sua resenha, gostei muito do livro e adoraria ler principalmente por ter um menino judeu, no qual sempre procuro ler e acabo gostando, sei que seria uma ótima pedida.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a obra nem o autor mas adorei a premissa do livro! Sua resenha ficou linda! Amei. Já quero ler! Obrigada pela dica!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  6. Adorei, acho que por ser narrado por uma criança, mas faz a leitura ser gostosa, daquelas que você começa e não quer terminar mais. Adoro esses livros que tem como foco o nazismo e o quanto as pessoas sofreram naquela época.

    ResponderExcluir
  7. Que diferente!
    Fiquei bem curiosa. A premissa parece ser bem impactante mesmo com poucas páginas.
    Gostei bastante da dica! Obrigado! Mais um para minha listinha!
    beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Heiii, tudo bem?
    Ainda nao conhecia "Uma vez", mas por ser infatojuvenil e contar sobre uma parte da guerra aos olhos de um menino, ja me deixa curiosa.
    Adorei saber mais da história e fiquei bem interessada em conhecer a história toda, vou tentar ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não conhecia esse livro até ler a sua resenha. Confesso que não sou ligada a leituras que se passem durante esse período, já estudei tanto sobre que hoje em dia tendo a fugir. Todavia, parece ser uma leitura ''mais leve'' e até ideal para introduzir os mais jovens a esse período histórico tão marcante, então com certeza é uma ótica dica!

    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  10. Oii, tudo bem?
    Gosto muito de histórias que são narradas por crianças, é sempre tão fofo *-*
    A premissa do livro é muitoo boa e amo livros que são ambientados na segunda guerra, então com certeza quero ler esse livro!
    Obg pela dica, beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu gosto bastante de livros que tenham a Segunda Guerra como tema, apesar de acabarem emocionalmente comigo.
    Nunca tinha ouvido falar de Uma vez, mas gostei da capa e achei a premissa interessante. Fiquei curiosa para conhecer a história de Felix e saber como termina.
    Dica anotada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. A premissa muito me chama a atenção e fiquei com vontade de ler esse livro.
    Dica anotada. Adorei sua resenha.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Essa narrativa parece ser quase lírica,contando a visão de um menino diante das atrocidades daquele tempo. Gostei muito da premissa do livro,uma história triste mas cativante em seu estilo. Vou colocar na minha lista.


    bjssss

    ResponderExcluir
  14. O livro parece ser lindo, mas apesar de ser infantojuvenil e ter uma escrita mais leve, ele aborda um tema muito triste e para os mais sensíveis (como eu), deve levar o leitor às lágrimas. Eu sou uma manteiga derretida e sei que vou acabar chorando com essa leitura.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  15. Olá! Não conhecia o livro, gosto de histórias que se passam nesse período. Ainda mais quando se passa pelos olhos de um menino, fico imaginando o quanto a história deve ser emocionante, beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Com certeza será uma história emocionante e linda, assim como todas as histórias que já li desse periodo. O tema abordado é intenso, então mesmo sendo um livro infantojuvenil, com certeza será algo que vou me emocionar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Amo livros assim, com temática Segunda Guerra, sempre me emocionam. Conheço esse livro por causa de algumas resenhas, mas já tenho interesse nele!

    ResponderExcluir
  18. Oi Le, amei a resenha desse livro, e fiquei fascinada com a história, eu gosto de livros infanto juvenil e a forma como lidam com assuntos tão triste como a guerra, tenho até uma pessoa para indicar. Bjkas

    ResponderExcluir
  19. Oii!

    Esse livro parece trazer uma bela carga emocional o que eu admiro e gosto bastante. Nunca tinha lido nada sobre a obra, mas gostei muito de conhecer por aqui!
    Dica anotadinha!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu sou apaixonada por histórias da segunda guerra, e especialmente essa me chamou muito a atenção, ainda mais por ser contada por uma criança judia. Com certeza é uma leitura que adorarei fazer.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia o livro e fiquei bem curiosa. Gosto dessas questões de guerra e ser contatada por uma criança judia parece ser bem interessante.
    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Eu vi esse livro em outra resenha e confesso que já estou apaixonada. Essa premissa de uma criança contando seu ponto de vista pela guerra parece incrível.

    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bem? A temática do livro somado a visão infantil é o que me chama mais atenção. Com certeza o livro deve ser bem tocante e mesmo sendo não fatos reais, nos mostra facetes que não sabemos se aconteceu ou não. Dica anotada!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!