F

03 março 2017

O que li em fevereiro (2016)








A intrusa | Não espere de A intrusa romantismo em demasia. O romance aqui é bem sútil, mas tão bonito! Argemiro nunca vê sua governanta, mas pode senti-la, como se conhecesse sua alma. Isso é lindo! Atualmente, as pessoas estão tão acostumadas em ler casais que se apaixonam depois de uma incontrolável atração física, que estão tão presentes de corpo e muitas vezes ausentes de espírito. Por que não um amor que nasce apenas pelo sentir (presença), sem ver ou tocar (físico)? Tenho certeza que o final vai agradar os apaixonados por romances com uma aguçada percepção dos verdadeiros sentimentos. Um clássico nacional que pode deixar muitos livros estrangeiros do gênero no chinelo. Simplesmente amei!






Ruído branco | Interessei-me por esse livro depois que Ana Carolina recitou um dos poemas no programa Altas Horas e, curiosamente, esse mesmo poema - A pele - acabou sendo o meu favorito na obra. Amei os versos mais maduros e me vi em um misto de sensações, pois eles podem nos fazer rir, refletir ou entristecer-se. Mas o que me surpreendeu grandemente foi os textos que Ana escreveu quando era apenas uma menina de 11/12 anos. Você pode querer ler Ruído branco porque é fã da cantora ou porque adora poemas. De qualquer maneira, você vai se encantar com a mulher e a menina que existem nessas páginas. Um livro que possui sons, cores e letras. Um deleite para a humanidade.






O poderoso chefão | Com uma narrativa em terceira pessoa e rica em detalhes, adentramos fundo no retrato dos chefes do crime organizado em Nova York. Puzo narrou com maestria cada detalhe, criando personagens enigmáticos que podem ser facilmente imaginados na vida real. Não é à toa que O poderoso chefão se tornou um fenômeno mundial e alavancou a carreira do autor. Puzo não economizou nas palavras, não dispensou os fatos e criou uma grande história, sem pontas soltas e um desfecho notável.










Codinome Lady V | Codinome Lady V ganhou as cinco estrelas e minha recomendação. É romantizado e previsível? É. Mas também tem uma crítica fortíssima sobre as injustiças de uma sociedade machista, e vale imensamente a pena conhecer essa mocinha tão decisiva. Além disso, a sedução e mistério que ronda o casal é agradável de acompanhar e faz o leitor se divertir muito. Um romance de época ousado e com muito romantismo. Quero mais dos sedutores de Havisham!









O amor imperfeito | O que a gente faz quando um livro é completamente maravilhoso a não ser favoritá-lo? O mais impressionante nesse livro é ser improvável que em pouquíssimas páginas a autora tenha criado tantas situações. Isso em um ritmo controlado, sem acelerar ou deixar pontas soltas. O livro consegue ser intenso na medida certa e ainda te deixa com um gostinho de quero mais.  Terminei a leitura com a necessidade de ver outras pessoas conhecendo essa história linda sobre dúvidas, descobertas, amores perdidos e acima de tudo sobre o grande amor pela família. Lindo demais! Leiam, por favor!







O livro de memórias | O que mais gostei no livro foi a abordagem da doença no rumo da vida de uma adolescente cheia de sonhos para o futuro. Em linhas gerais, O livro de memórias é um livro jovem, mas que agradará qualquer público. Aqui temos drama, relações familiares, insegurança adolescente, romance e diversão. Esse livro consegue ser fofo, triste, divertido e reflexivo ao mesmo tempo. Nos faz pensar no quanto poder recordar de nossos melhores momentos, é tão importante para nós.  Recomendo muito!








Simplesmente amor | Apesar de muitas coisas serem previsíveis, adorei a trama criada pela autora: um mistério logo no início da leitura, um sentimento forte que sobreviveu a um dano na memória da protagonista... tudo envolto em uma narrativa leve e gostosa de acompanhar. Embora a obra tenha muitos pontos positivos, só não dei cinco estrelas por achar que nas últimas páginas tudo aconteceu muito rápido (esses finais corridos que me perseguem). Em linhas gerais, Simplesmente amor é um romance previsível sim, com um casal um pouco meloso, mas que é um ótimo livro para nos fazer companhia em uma tarde de verão. Quem não dispensa um romance leve anote essa dica. 






Poder | Poder é o terceiro livro da Saga Encantadas, publicada pela Única Editora. Depois de gostar dos dois primeiros volumes, termino enfim a trilogia. Apesar de não ser a melhor série que li na vida, a leitura me agradou bastante. Em linhas gerais, Poder é um livro gostoso de ler, onde dependendo da interpretação do leitor, realidade e fantasia podem se misturar. Vale a pena para quem gosta de leituras fluídas, curtas, cheias de erotismo e heróis totalmente fora dos padrões. E como não poderia faltar, em Poder temos algumas cenas sensuais que nos fazem recordar que essa saga, definitivamente, é um conto de fadas para adultos!















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!