F

22 fevereiro 2017

Top 7 | Clássicos que amei


Sempre gostei de clássicos e, desde a escola, lê-los nunca foi uma obrigação. Se você não cresceu lendo clássicos por "obrigação" na escola, você não sabe o que perdeu. Com o passar dos anos conhecer Charlotte Brontë e Elizabeth Gaskell só aumentou minha admiração por essas obras. Fico triste de ver como tantas pessoas evitam os clássicos. Neles você vai encontrar algo que pode ser singelo e complexo ao mesmo tempo, o romantismo que se perdeu e protagonistas inesquecíveis.

O que é um livro clássico? Para explicar melhor, primeiramente um livro recém-publicado dificilmente é categorizado como uma leitura clássica. Um clássico é, em geral, um livro que representa o período em que foi escrito e que atravessa gerações sem perder seu valor. Portanto, as principais características de um clássico são: não perdem seu valor com o tempo; possuem apelo universal; exercem influência sobre outros autores. Fonte






Jane Eyre, de Charlotte Brontë


Sinopse: Jane Eyre é uma menina órfã que vive com sua tia, a sra. Reed, e seus primos, que sempre a maltratam. Até que, cansada do convívio forçado com a sobrinha de seu falecido esposo, a mulher envia Jane a um colégio para moças, onde ela cresce e se torna professora. Com o tempo, cresce nela a vontade de expandir seus horizontes. Ela põe um anúncio no jornal em busca de trabalho como governanta. O anúncio é respondido pela senhora Fairfax, e Jane parte do colégio para trabalhar em Thornfield Hall. Lá, ela conhece seu patrão, o sr. Rochester, um homem brusco e sombrio, por quem se apaixona. Mas um grande segredo do passado se interpõe entre eles.

O QUE ACHEI 👉  Claro, que Charlotte Brontë tinha que estar nesse TOP. Jane Eyre é uma dessas personagens divas que passam por nós durante nossas experiências literárias. Que protagonista inesquecível! Amo muito a escrita de Brontë. De uma forma poética ela consegue nos envolver facilmente com suas histórias, criando situações e personagens muito reais. Esse livro está longe de ser um conto de fadas. É forte e real, mas também é cercado por romantismo. Simplesmente amei esse clássico!




Esposas & Filhas, de Elizabeth Gaskell



Sinopse: É o último romance escrito por Elizabeth Gaskell, em 1865, considerado sua obra-prima, narra o destino de duas famílias do século XIX na Inglaterra rural. Trata das relações familiares de pai, filha, madrasta, filhos, enteada e de seus envolvimentos românticos. A história gira em torno de Molly Gibson, filha única de um médico viúvo vivendo em uma cidade provincial inglesa em 1830. Tem início com Molly ainda criança em visita à casa do pai e a negligência da ex-governanta, Miss Clare, em relação a ela. Sete anos depois, Molly é uma atraente jovem bastante irreal que desperta o interesse de um dos aprendizes de seu pai, o Sr. Coxe. O afeto é descoberto pelo senhor Gibson que envia a jovem Molly para ficar com as Hamleys, de Hamley Hall, uma família da pequena nobreza. Lá, ela encontra uma substituta da mãe na senhora Hamley, que a trata como filha. Molly também se torna amiga do seu filho mais novo, Roger. O filho mais velho da família Hamleys, Osborne Hamley, um jovem bonito, inteligente e mais elegante do que seu irmão, é esperado para fazer um casamento brilhante após uma excelente carreira na Universidade de Cambridge. Porém, um grande segredo envolve Osborne. 

O QUE ACHEI 👉 Que livro mais lindo! Esse é para quem gosta mesmo dos clássicos. Isso porque tem que gostar muito de uma narrativa mais demorada, detalhista e com diálogos extremamente formais. É um livro para saborear aos poucos e se rendar aos personagens, nesse caso, principalmente a encantadora Molly e seu amor por Roger. Uma pena que a autora morreu antes de escrever o desfecho, mas sabemos o que ela pretendia com o final feliz dos dois. Lindo!






A moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo


Sinopse: Como se manter fiel ao juramento de amor feito no passado, diante de uma nova e ardorosa paixão? É o que se pergunta Augusto ao conhecer Carolina, a Moreninha.Uma resposta surpreendente será dada ao personagem nas páginas deste agradável livro de Joaquim Manuel de Macedo. Publicado em 1844, este é o primeiro romance da nossa literatura. Esta divertida história de amor retrata com perspicácia a sociedade do Rio de Janeiro do Segundo Reinado.

O QUE ACHEI 👉 Ai, gente! Como esse livro é singelo e romântico. A leitura desse livro não é nenhum pouco fácil, principalmente no começo. As primeiras páginas são bem lentas e difíceis a compreensão para quem não está acostumado com uma escrita do século XIX.  Mas chega em determinado trecho do livro que a leitura flui rapidamente de tão apaixonado que você fica pelos personagens. Sem contar a torcida por um final feliz. Sou apaixonada por esse livro e leria mais mil vezes. 




O crime do Padre Amaro, Eça de Queiroz


Sinopse: O que acontece quando o padre de uma pequena cidade portuguesa se apaixona por uma paroquiana? A resposta é dada nesse divertido e sarcástico romance de Eça de Queiroz, autor lusitano do século XIX. Amaro, o pároco, escandaliza o lugarejo e mergulha numa espiral de perdição.

O QUE ACHEI 👉 Fala sério, esse livro é TOP! Eça de Queiroz tem uma escrita mais fácil de conduzir, pelo menos para mim. Li esse livro há tanto tempo, mas lembro exatamente de como a leitura fluiu facilmente e como não sosseguei enquanto não devorei a obra. Já ouvi falar no escândalo que foi esse livro na época da publicação e como algumas mulheres eram proibidas de lê-lo. Gente, como as coisas mudam, né? Amei, amei e amei esse livro. Muito bom!





Senhora, de José de Alencar


Sinopse: Senhora é um romance urbano do brasileiro José de Alencar, que retrata a hipocrisia da sociedade fluminense durante o Segundo Império. Ele conta a história de Aurélia, uma dama abandonada por seu pretendente (Fernando) em troca de outra mais abastada, que, ao ganhar uma grande herança, resolve "comprar" Fernando.

O QUE ACHEI 👉 E quem disse que não é possível se divertir com clássicos? José de Alencar escreve brilhantemente e criou uma das protagonistas que mais adoro - Aurélia. Que mulher esperta e danada (risos). Adorei ver Fernando se estrepando com o próprio interesse. Ah, e o final! É tão perfeito. Me deu até vontade de ler de novo.





O jardim secreto, de Frances H. Burnett


Sinopse: Um livro delicado, meigo e muito mágico. Conta a história da jovem Mary, uma menina mal-humorada e infeliz que acaba indo morar na casa de um tio seu, após o falecimento de seus pais. A casa é uma mansão nas charnecas, um lugar que ela escolhe odiar. Porém, vendo que não há outra forma e que ela terá que ficar lá, a menina decide explorar o local. Acha um velho jardim trancafiado em uma de suas explorações e decide cuidar dele com a ajuda de dois amigos. Mostra do começo ao fim o crescimento de Mary e de seus amigos.


O QUE ACHEI 👉 Clássico e mágico, esse livro é um encanto só e nos ensina tanto! Quem ainda não conhece a história, o que acho difícil, a sinopse pode parecer bem simples diante da dimensão que é essa história. Ela nos ensina que não importa o que nos aconteça, devemos sempre escolher viver intensamente. O filme também vale muito a pena para quem não pretende ler o livro.





Olhai os lírios do campo, de Érico Veríssimo 


Sinopse: Eugênio Pontes, moço de origem humilde, a custo se forma médico e, graças a um casamento por interesse, ingressa na elite da sociedade. Nesse percurso, porém, é obrigado a virar as costas para a família, deixar de lado antigos ideais humanitários e abandonar a mulher que realmente ama. Sensível, comovente, "Olhai os Lírios do Campo" é um convite à reflexão sobre os valores autênticos da vida. 


O QUE ACHEI 👉 E não poderia faltar esse livro. Olhai os lírios do campo é um encanto só. Ele marcou muito minha adolescência que só me faz admirar ainda mais os clássicos. A narrativa é bem gostosa e intensa. Esse livro é bastante real, comovente e nos faz refletir sobre nossos próprios valores e sobre o que realmente importa na vida. Quero muito reler qualquer dia desses.











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!