F

15 setembro 2016

Resenha | O Diário internacional de Babi

Título: O Diário Internacional de Babi
Autora: Chris Salles
Editora: Outro Planeta
Gênero: Young Adult
Páginas: 298
Ano: 2016
Skoob

(Cortesia da editora)

Sinopse: Mudar nunca foi a palavra preferida de Bárbara. Porém, depois da separação dos pais, a garota de quase 15 anos se vê obrigada a migrar com a mãe e os irmãos para Orlando, a cidade americana onde os sonhos ganham vida. E descobre que a fronteira entre o real e o ilusório pode ser mais difícil do que parece. “Como a terra do Mickey, o livro de Chris Salles é cheio de magia, pois nos transporta instantaneamente para a vida da Babi, a protagonista. Com o diário dela nas mãos, nos sentimos íntimos, como se ela fosse uma amiga querida que nos escolheu como confidentes. Através de suas experiências, ela nos mostra que a primeira imagem de uma pessoa pode enganar, que devemos ser mais receptivos, que processos de adaptação podem ser complicados, mas não duram para sempre. Acima de tudo, Babi nos ensina que a vida real também tem seus momentos de contos de fada. Basta a gente permitir que eles aconteçam. E, especialmente, nunca deixar de sonhar.” PAULA PIMENTA.



Esse é o primeiro livro que leio do novo selo da Editora Planeta - Outro Planeta -, que parece mesmo ter vindo para agradar. O Diário internacional de Babi é um Young Adult escrito por Chris Salles. Aqui acompanhamos a história de Babi, uma adolescente de 14 anos que tem seu mundo perfeito onde mora em Estrela, uma cidade do interior do Rio Grande do Sul, no Brasil. Mas tudo muda quando sua mãe decide se mudar para Orlando, nos Estados Unidos. Babi não quer deixar seu colégio, suas amigas e nem deixar a tranquilidade de sua cidade, mas se vê obrigada a acompanhar a decisão da mãe. Em Orlando, a certeza de que não quer morar nos EUA se confirma. Em meio a muitos desafios e o bullying que ela sofre, se encaixar nesse mundo fica cada dia mais difícil. Babi então passará por maus bocados tentando se conectar ao novo rumo de sua vida, e definitivamente não será nada fácil.

A narrativa é feita em forma de diário, onde Babi relata a confusão que está em sua cabeça e como se sente em relação a tudo. A escrita da Chris é incrivelmente leve, envolvente e descontraída. Até parece que estamos em uma conversa com Babi, ouvindo todas suas confissões. 


O que mais gostei foi a forma como me identifiquei com a Babi quando tinha a mesma idade que ela. Não consideraria esse livro como mais um drama adolescente, mas como uma obra cuja protagonista é tão real como eu e você. O incrível foi que me identiquei com a Babi em vários pontos. Nossa protagonista é como todos os adolescentes que já se sentiram menos amados pela mãe entre os irmãos, que já encontrou aquele garoto perfeito e achou que seria para sempre, e entre tantas coisas, só desejou ter seu lugar no mundo e no coração das pessoas que ama. E com todos esses conflitos internos de Babi, é gostoso acompanhar também suas descobertas. Mentir talvez não seja a melhor solução, as pessoas às vezes realizam sacrifícios por nós e nem vemos, ninguém é tão perfeito quanto possa parecer e talvez estejamos procurando nosso lugar ao sol de maneira errada.

Além de adorar acompanhar as descobertas da personagem, a autora me ganhou também por trabalhar o bullying. Esse é um tema, que geralmente é mais temível entre os adolescentes, e apesar de não ser o foco do livro, acabou se tornando um dos desafios da protagonista. Adorei como a autora trabalhou os personagens secundários que cometeram algumas "maldadezinhas" com ela. Isso nos mostra o quanto esse assunto está fortemente presente na sociedade e como muitos pais não notam.

"Sério, não dizem que estou indo morar na terra dos sonhos e das princesas encantadas? Será que não dá para pular a parte do sofrimento e ir direto para o "felizes para sempre"? Estamos precisando tanto disso..." (p. 15)

Além de amar essa história tão gratificante e descontraída, a diagramação está ótima. Contamos com pequenas ilustrações em cada início de capítulo que começa em forma de diário. Adorei a fofura da capa que se conectou perfeitamente com a história e a personagem.

Em linhas gerais, O diário internacional de Babi é um livro para ser apreciado especialmente pelos jovens, mas também por adultos, que se identificarão rapidamente com a protagonista. Um livro lindo e muito bem escrito, com personagens convincentes e um clima descontraído. Simplesmente amei! Dificilmente o leitor se arrependerá da leitura. 

Compare e compre: Saraiva | Submarino | Americanas 






25 comentários:

  1. Olá, Letícia.
    Bullying é um assunto bem trabalhado na literatura atualmente. É bom ver mais um livro que toca nesse tema, ainda mais sendo um livro envolvente, o que pode influenciar os leitores.
    Não é o meu tipo de obra, mas gostei da dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de setembro. Serão três vencedores, cada um ganhando dois livros.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu quase não leio livros juvenis mas me interessei por esse, o tema bullying acaba chamando a atenção e tem sido bem trabalhado ultimamente nos livros.
    Além disso, apesar do tema forte, pareceu ser uma leitura leve e descontraída. A capa também me agradou.
    Vou levar a dica!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oii Letícia, tudo bem?
    Menina eu achei incrível a sua resenha e a edição está um arraso, mas infelizmente a obra dessa vez nao despertou meu interesse e irei pular a dica.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Gostei bastante da premissa do livro e adorei sua resenha.
    Embora seja uma obra juvenil, adorei o tema abordado e muitos autores tem usado a escrita como forma de conscientizar, o que acho bem bacana.
    Mesmo tendo essa discussão acerca do preconceito, parece ser uma leitura agradável e fluida.

    https://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Nossa, que livro mais fofinho! E ao mesmo tempo, traz um tema bem atual.
    Eu não conhecia o livro, só a capa. E achei bem interessante, gosto de livros com histórias descontraidas.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz que a leitura tenha te agradado. Possivelmente, não o leria estou um pouco cansada desse tema, parece que quanto mais NA são lançados mais elea se parecem. Feliz o gênero tem público pra ele, não precisa de mim... Kkkk

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  7. Eu quero muito ler esse livro, acho que deva ser perfeito para me tirar das depressões literárias que ando me metendo. A capa é muito charmosa. Gostei de ver sua opinião sobre o livor e por ter me deixado ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Leticia! Achei interessante a premissa do livro. Ainda mais por passar a sensação de que não é uma mera ficção, nos fazendo acreditar que é tudo parte da vida ali, podendo acontecer com qualquer um. POnto positivo também por se passar em um lugar que AMO, Orlando.

    Valeu pela dica!

    BEijo

    www.leitorasinquietas.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ola
    É bem legal quando nos identificamos com o protagonista, mas realmente já não tenho mais paciencia para histórias adolescentes, então vou pular a dica de hoje.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Letícia, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro. Vou anotar sua dica! ;)
    Só achei meio estranha a classificação desse livro como "New Adult", sei lá, acho que está mais para Young Adult, não?
    Acho interessante que a temática "bullying" continue sendo abordada em livros YA (tenho certeza que ess eé o gênero rs), pois o assunto é sério e quanto mais jovens souberem dos efeitos dessa prática absurda, melhor.

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Amanda
    http://www.confissoesfemininas.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda
      O primeiro lugar que procurei a classificação foi no skoob, pois NA e YA sempre nos confunde, né? rs Algumas poucas pessoas classificaram assim também.
      Dei uma pesquisada, e li que o YA pode abordar também temas NA, só que de uma forma mais leve. Acho que foi o aconteceu aqui.
      Depois de ler algumas postagens, acho que agora eu também classificaria ele como YA (e nao confiar completamente na classificação dada no skoob rs)
      Obrigada pela dica. ;)

      Excluir
  11. Fiquei na duvida... New Adult não seria voltado para aquela famosa fase de transição onde o jovem passa ser adulto e ter suas primeiras vezes na vida? Tipo primeira relação, emprego, morar sozinho e talz??
    Eu me sinto tão perdida as vezes... New Adult, Young Adult, nunca sei o que é o que...
    A história parece ser boa e leve.
    Gostei bastante de sua resenha.


    #Ana

    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Eu também vivo confundindo, é tanto subgênero criado, muitas vezes tão parecidos, né?
      Vou responder o mesmo que respondi a Amanda logo acima.

      O primeiro lugar que procurei a classificação foi no skoob, pois NA e YA sempre nos confunde, né? rs Algumas poucas pessoas classificaram assim também.
      Dei uma pesquisada, e li que o YA pode abordar também temas NA, só que de uma forma mais leve. Acho que foi o aconteceu aqui.
      Depois de ler algumas postagens, acho que agora eu também classificaria ele como YA (e nao confiar completamente na classificação dada no skoob rs)

      Obrigada por seu comentário ;)

      Excluir
  12. Oie
    Muito legal a resenha, parece ser um bom livro e gostoso de ler, não é uma capa que me atrai mas quem sabe uma hora eu dê uma chance

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ele parece bem infantojuvenil né, gostei da sinopse, mas admito que não é um livro que eu leria. Sua resenha ficou muito boa, aliás!

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Não conhecia a obra, mas achei a premissa um bocado intrigante. Com certeza vou anotar a dica e espero ler em breve.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  15. Oi linda,

    Não sabia que a Planeta tinha lançado um novo selo...desejo sucesso para eles.
    Eu gostei muito da premissa do livro e me conquistou por falar de mudanças repentinas, autoaceitação e bullying.

    Vou presentear minha maninha com ele.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Estou com muita curiosidade de ler essa obra, ainda mais porque é em forma de diário e a protagonista não passa por tantos dramas como vemos na maioria dos livros desse gênero, o que é legal porque podemos nos ver nela. Vou conferir porque tenho certeza que vale a pena.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  17. Olá! Eu acho a premissa desse livro bem divertida. Legal a maneira como aborda a situação, as vezes pensamos que algo pode ser ruim e nos surpreender bastante. A capa é lindinha, beijos!

    ResponderExcluir
  18. Eu não conhecia esse livro e lendo a resenha me deu uma vontade enorme de ler. Me identifiquei com algumas coisas e já estou apaixonada por esse livro.
    X J X C X

    ResponderExcluir
  19. Olá.
    Ultimamente percebo que livros com personagens adolescente assim como a desse livro não me deixa tão interessada como antes, mesmo eu curtindo Young Adult, não achei a premissa do livro tão boa, mas eu leria o livro para passar tempo mesmo.
    Mas sua resenha ficou muito boa.
    A capa do livro é bonita e achei fofo saber que em cada capitulo tem uma ilustração fofa.

    ResponderExcluir
  20. Oi Letícia... que história gostosa...
    Eu não conhecia esse livro, mas conseguiu me atrair.
    A capa não chama a atenção, mas a premissa é bem interessante.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  21. Oii,

    Conheço essa história desde o Wattpad e li uma boa parte do mesmo, e simplesmente amei. Lembro que devorava essa história. Mas quando ela tirou do Wattpad, não pude continuar a ler. Mas ainda bem que tem o livro impresso não é?? A história é muito boa, engraçada e cheia de aventuras. É uma ótima leitura.

    beijos

    ResponderExcluir
  22. Ola Le lindona amei essa capa, lendo sua resenha percebi que não teremos aqueles dramas exagerados de adolescentes, então me interessei pela leitura e em conhecer seus medos, receios específicos da idade sem potencializar demais. Dica mais anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  23. Oi!!
    Eu sempre fico apaixonada pela capa desses livros com temáticas como essa. Legal isso de ser escrito em forma de diário, esse não seria um livro que eu procuraria para ler, mas vou indicar para minha sobrinha, sei que ela vai gostar.
    O tema é bem interessante e pelo visto a autora soube trabalhar ele de forma descontraída.
    Beijão!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!