F

25 maio 2016

Resenha - Max

Título: Max
Autora: Sarah Cohen-Scali
Editora: Jangada
Páginas: 391
Gênero: Ficção/História
Ano: 2016
Skoob

(cortesia da editora)

Sinopse: Max é o protótipo perfeito do programa "Lebensborn" iniciado por Himmler, o comandante supremo da temível SS. Mulheres selecionadas pelos nazistas dão à luz os primeiros representantes puros da raça ariana, destinados a regenerar a Alemanha depois que a Europa estiver ocupada pelo Terceiro Reich. Max, alimentado desde o útero com a doutrina nazista, é um bebê criado para ser o primogênito dessa nova geração. Rebatizado como Konrad, ele cresce sem mãe, sem afeição ou ternura, de acordo com os preceitos educacionais nazistas. Aos 4 anos, ele se torna "mascote" do Heim, o lar das crianças Lebensborn. É usado para raptar crianças polonesas e presencia horrores cometidos pelos nazistas a sangue-frio. Aos 6 anos ele é levado para Kalish, uma "escola" para crianças polonesas que passaram pelo filtro racial SS. É ali que conhece Lukas, um judeu polonês rebelde, mas com todas as características físicas de um ariano. Konrad fica amigo de Lukas. Pela primeira vez na vida, ele se sente ligado a outro ser humano. A partir desse momento, suas crenças nazistas começam lentamente a desmoronar. Konrad/Max sofrerá muitas provações e passará a ver o mundo de uma forma diferente, até o final apocalíptico da Segunda Guerra Mundial.




Que livro é esse? Esperava um livro bom, que simplesmente atendesse as minhas expectativas. Mas não, Max foi além e me deixou estática, tentando compreender o que foi tudo isso que senti, do início ao fim. Max é um lançamento da Editora Jangada e só tenho a agradecer a ela por essa publicação incrível. Sem mais delongas, afinal, vamos conhecer Max?

Max é o primeiro representante puro da raça ariana, um protótipo perfeito do programa "Lebensborn" iniciado por Himmler, o comandante supremo da temível SS. Como Hitler espalhava sua mensagem pela Alemanha, acreditando que a sociedade deveria consistir em uma raça ariana pura após a Europa ter sido ocupada pelo Terceiro Reich, o programa consistia em selecionar mulheres alemãs, que dormiriam com soldados da SS e dariam à luz aos primeiros bebês dessa raça. Max então nasce e assim é chamado por sua mãe, porém é rebatizado pelos nazistas como Konrad von Kebnersol. Ele então cresce em um ambiente sem mãe, amor e carinho, mas em meio ao ódio e horrores da guerra. Ele foi criado para seguir os preceitos educacionais nazistas, e desde pequeno realizaria missões como ajudar no rapto de crianças polonesas e induzi-las a seguir as regras impostas pelos nazistas. 

Completamente fiel as leis nazistas, as crenças de Max começam lentamente a desmoronar quando ele conhece Lukas, um judeu polonês, que têm todas as características físicas de um ariano, e dessa forma se passa por alemão. Sentindo-se totalmente ligado a Lukas, pela primeira vez Max questiona-se sobre tudo que aprendeu, e se Hitler realmente estaria certo sobre os judeus. Ele mudará completamente e presenciará ainda inúmeros horrores até o fim da Segunda Guerra Mundial.


Quem narra a história é o próprio Max, o que torna tudo ainda mais perturbador. Sarah escreveu com maestria todos os personagens, fictícios ou não, e o cenário da Segunda Guerra Mundial. Com uma escrita simples e incrivelmente envolvente, a autora me deixou totalmente viciada na obra. É assustador esse programa absurdo criado pelos nazistas e como a mente de Max vai sendo formada. Não há como não se apegar ao livro e não devorá-lo rapidamente. Como se não fosse suficiente, a obra ainda tem momentos divertidos (se é que isso é possível em uma Alemanha nazista).

O que mais me impressionou no decorrer da leitura, sem dúvidas, foi o fato da autora colocar Max como narrador de sua própria história, antes mesmo de sair da barriga da mãe. É claro, é impensável um bebê já ter pensamentos nazistas, conhecer todas as leis, e sequer  saber com que propósito veio ao mundo. O fato é que Max sabe tudo isso. A autora recheia assim o livro de ironia nas entrelinhas, e deseja mostrar, pelo menos ao meu ver, como os preceitos nazistas se infiltravam na mente da sociedade e assustadoramente na das crianças, que cresciam até mesmo denunciando os próprios pais que iam contra as leis do Führer. Como odiar Max? Ele é apenas uma criança que acredita fielmente nas "belas" palavras de Hitler. E como culpá-lo, se ele cresceu nesse ambiente cheio de ódio, sendo ensinado a não amar?

Alguns personagens reais e importantes dessa época são citados ao longo da narrativa, outros são fictícios, porém representam pessoas que realmente existiram. Lukas, impressionantemente representa um judeu polonês que realmente existiu, e se passou por alemão durante a guerra. Embora o destino deles seja complemente diferente na vida real e no livro, a criação desse personagem foi extremamente inteligente, pois rendeu cenas perturbadoras e comoventes.

"Concebido sem amor. Sem Deus. Sem lei. Sem nada além da força e da raiva. Morderei em vez de sugar. Berrarei em vez de balbuciar. Odiarei em vez de amar. Heil Hitler!"

Devo ressaltar que não é uma leitura densa, como pode parecer, pois a autora narra de forma simples os acontecimentos mais tristes, e esses serão no mínimo comoventes. Livros que abordam a Segunda Guerra Mundial, com foco no nazismo, é claro que rende momentos perturbadores e chocantes, mas Max tenta nos fazer enxergar além - no coração e na mente de uma criança criada nesse ambiente. Por esse motivo, queria poder conseguir convencer todos os leitores a lerem esse livro. Não importa qual seu gênero literário favorito ou se você não curte enredos de guerra. Esse livro é brilhante e incrivelmente bem escrito. Não se pode ignorar um passado como esse. Leiam, leiam, leiam! 

Comprar: Saraiva | Livraria Cultura  | Livraria da Travessa




16 comentários:

  1. Olá,

    Fiquei muito interessada na obra, gosto de livros que possuem como pano de fundo a segunda guerra. Isso realmente me atrai muito. O livro realmente parece ser tocante e uma história mais pesada e fiquei muito intrigada com a premissa. Espero poder em breve embarcar nessa história.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Caramba! Eu não sei o que me deixou mais animada pela leitura, o livro ou sua resenha haha, me pareceu um livro tenso, mas eu quero muiiiiiito ler! Sério, o enredo é incrível!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Parabéns pela resenha! Gosto muito de livros que retratam guerras, e esse me parece bem tenso, e a premissa muito boa. Esse entra para minha lista de leitura. Obrigada pela dica!
    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥
    CD

    ResponderExcluir
  4. eu curto bastante livros com temática de Segunda Guerra e quando vi esse livro fiquei bem curiosa e empolgada pra ler... em disseram que a linguagem dele não é muito densa mas ainda assim eu gostaria de fazer a leitura e tirar minhas próprias conclusões... a edição tem uma capa bem impactante...
    bjs...

    ResponderExcluir
  5. Caramba, esse livro me pareceu ser fantástico! Pretendo ler muito em breve, valeu pela dica! Gosto muito de livros com essa temática, e esse me pareceu ser realmente inovador. Eu pelo menos ainda não tinha visto nada com essa proposta. :)

    ResponderExcluir
  6. Eu já conhecia esse livro, mas essa é a primeira resenha que leio dele e você me convenceu totalmente a querer fazer essa leitura. É o tipo de livro que parece surpreender bastante e fico bem curiosa sobre o desenvolvimento. Deve ser instigante!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  7. Oioi! Tudo bem?
    Nossa, nao dava nada pelo livro Max!
    Sua resenha me impressinou e fiquei curiosa com o baby e todo mais da tematica nazista.
    Eu nao gosto mto do tema, acho sempre mto cruel, mas a premissa do livro me deixou bem curiosa.
    Vou solicitar a editora.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  8. Ola!
    Parabéns pela resenha, muito bem escrita e deixa uma ideia bem clara do livro. Confesso que o tema nazismo não me atrai muito, mas como vc mencionou que o livro não é denso, apesar do tema, é provável que entre na minha lista de leitura. Não conhecia o livro e nem o autora, mas pela sua resenha, deu para perceber que o livro é bom e que a autora tem uma escrita agradável.
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Sua resenha realmente conseguiu me impressionar. Apesar de não ser o tipo de livro que tenho o costume de ler, a obra me chamou bastante atenção (principalmente pela temática). É sempre muito difícil ler obras que têm como tema central o Nazismo/Segunda Guerra, mas ainda assim fiquei intrigada e com certeza é algo que eu leria.
    Uma coisa que também me chamou atenção foi o que você disse sobre o personagem principal. Apesar de ser uma criança que não tem a menor noção disso e que foi criado em tal ambiente, acho que ainda assim é um pouco difícil não sentir pelo menos um pouquinho de raiva rs Mas é compreensível.
    Parabéns pela ótima resenha *-*
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Que livro demais! Não sei se foi a história, a tua resenha ou uma combinação dos dois, mas fiquei com muita vontade de ler! Ainda bem que não é denso, aliás, deixa ainda melhor acompanhar uma história intensa dessas. Vou ler pra ontem!

    Bjs, Cass | www.livroseoutrascoisas.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oie
    que capa mais legal, muito legal sua resenha e que bom que a leitura te agradou tanto, muito interessante e diferente o enredo então espero ter oportunidade de ler em breve e adorar

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Caraca!!! Esse livro parece ser incrível.
    Quero já!!!!
    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, que bela resenha. No último mês fiquei tentada em solicitar essa obra para resenha, mas meu receio de ser algo bem denso fez com que eu desistisse no último minuto. Só não me arrependo completamente, pois o livro que solicitei foi uma leitura tão boa quanto essa. Adorei a forma como você retratou a obra e apontou as características do personagem.
    Esse, com certeza será uma das minhas próximas aquisições!

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. eu gosto de livros dessa época com esse contexto, é incrivel o quão real eles podem ser mesmo em uma ficção

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Esse livro quando foi lançado não despertou muito do meu interesse, mas agora, lendo sua resenha, percebi que a obra tem tudo para ser muito boa. Eu não sei se gostarei do livro, mas com certeza pretendo dar uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    É época do Nazismo foi um momento tenso na história do mundo. Hitler tinha uma mente perturbada e conseguiu fazer muitos seguidores. Mas gostei de saber que Max consegue se livrar desse mal e sai dessa vida vazia e cruel.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!