F

28 março 2016

Resenha - #Partiu vida nova

Título: #Partiu vida nova
Autora: Leila Rego
Editora: Gutenberg
Páginas: 302
Gênero: Chick-lit
Ano: 2015
Skoob

(Cortesia da editora)
Sinopse: Como muitas garotas pobres do interior, Mariana também sonhava em se casar com um cara perfeito, ter uma casa arrumada e ser feliz “até que a morte os separe”. Mas o sonho dela parecia ter sido turbinado: ela ia se casar com Eduardo, médico, lindo, rico, cobiçado e divertido, ia morar em um super apartamento no melhor bairro da cidade, e nunca tinha se sentido mais feliz com seu vestido de noiva de marca e um guarda-roupa repleto de peças de grife que ela tanto valorizava. Depois de uma trabalheira maluca e da organização de todos os detalhes, o grande dia havia chegado. E, se dependesse dela, tudo sairia maravilhoso! Ela estava em seu quarto sozinha, terminando de se arrumar para a cerimônia, quando o noivo aparece de repente e diz que precisa conversar, pois não se sente pronto para casar. A imagem do casal em cima do bolo começa a desabar… O que aconteceu com Edu? Mari necessita de respostas, nada mais faz sentido. Agora, ela precisa ir atrás da verdade, nem que para isso tenha que descer do salto, arregaçar as mangas e fazer um longo caminho de volta, até conseguir finalmente começar a aproveitar a sua tão sonhada vida nova. 


Que saudades que eu estava de ler um Chick-lit! Felizmente tive a oportunidade de ler esse livro incrível, e que vou dizer hoje o porquê. #Partiu vida nova é uma publicação da Editora Gutenberg, escrito por Leila Rego.  Sempre senti curiosidade em ler os livros dessa autora e, depois dessa leitura, dificilmente não irei devorar suas outras obras.

Mariana é uma mulher de classe média, desempregada, que namora Eduardo há alguns anos e sonha com o dia de seu casamento. Eduardo é um homem bem resolvido, médico, rico e lindo. Para alegria de Mari, tudo estava preparado e o tão sonhado dia chegou. Sozinha em seu quarto, se preparando para a cerimônia, Mari tem a terrível e pior surpresa de sua vida: Edu termina com ela a poucas horas do casamento, sem nenhum motivo plausível. O que teria acontecido para fazer Edu mudar de ideia, se até pouco tempo ele dizia que a amava. Com isso, Mari se isola completamente e desaba durante meses em um turbilhão de dúvidas e lágrimas. Ela precisava entender porque seu noivo desistiu as vésperas do casamento, mas, acima de tudo, precisava reagir e partir para uma vida nova.


Com uma escrita incrivelmente descontraída, divertida e envolvente, Leila prende nossa atenção com a visão de Mari, que é quem narra a história. Com uma narrativa em primeira pessoa é fácil entendermos profundamente o que nossa protagonista estava sentindo e conhecer sua personalidade. Amei tanto a escrita da autora e o rumo dos acontecimentos, que devorei o livro. 

Desde que Mari é abandonada, praticamente no altar, e começou a criar mil e uma suposições para justificar o que tinha acontecido com Edu, eu já saquei o motivo que o levou a isso, principalmente depois de conhecê-la melhor. Ao mesmo tempo que me irritei pelo quanto ela estava cega com tantas futilidades, eu me divertia com seu jeito consumista e desesperado. A obra é conduzida com tanta informalidade e realismo que é praticamente impossível, enfim, não amar a protagonista. 

O que mais gostei no livro foi acompanhar todo o amadurecimento de Mari, e o quanto ela se esforçou para isso. Não irei entrar em muitos detalhes quanto ao rumo de muitos dos acontecimentos, para não tirar as surpresas de quem pretende desbravar o livro. O fato é que, mesmo aos pouquinhos, Mari vai percebendo a pessoa que havia se tornado, os valores que havia perdido, e vai em busca de mudanças para preencher o vazio que seu ex-noivo deixou. E, por mais que a teimosia dela fosse irritante, seus momentos de reflexão e de crescimento pessoal, tornou a leitura muito especial.

Os personagens secundários foram igualmente muito bem desenvolvidos. Adorei a família de Mari e sua simplicidade, em especial sua irmã, Marisa, que têm todo o jeito implicante de uma irmã mais nova. O que dizer então de Clara, a amiga que ela iria conquistar. A maturidade de Clara, às vezes, me impressionava, assim como sua sinceridade. Dessa maneira não me diverti apenas com as manias, compulsões e teimosias de Mari, mas com todos os personagens.


Quanto à parte física, o trabalho gráfico da editora está ótimo. A capa e contra capa é maravilhosa e digna de um chick-lit, as folhas são amareladas e a fonte em tamanho ideal. Não tenho o que reclamar da diagramação.

"Ainda não consegui sucesso total. Não era tão evoluída como foi Sócrates. Acho que a coisa rolaria aos poucos. Comprei aquela bolsa em um momento de desespero e ansiedade total. Era a bolsa ou me entupir de chocolate..." (p. 134)

Se você é fã de Chick-lit, #Partiu vida nova é leitura obrigatória, mas se não tem costume de ler o gênero, eu indico mesmo assim. Esse livro, além de extremamente divertido, fala de amor, amizade, família, crescimento pessoal, valores e recomeço. Fechei a última página do livro com um sorriso no rosto. Tenho a impressão que a autora tentou pregar uma pegadinha no desfecho, e também nos deixar indecisos sobre qual final realmente queríamos para a protagonista. Simplesmente amei o livro. Recomendadíssimo. Escolha qual o final feliz que você deseja para Mari, e desfrute dessa leitura!





7 comentários:

  1. Apesar de muitos livros do gênero não me agradarem, algumas vezes dou uma chance. O principal motivo para eu dar chances é a realidade inserida na obra. Pessoas que são abandonadas por noivos/noivas e se entregam ao consumismo não é nada excepcional. Na verdade, acontece até mais do que imaginamos. Ademais, o fato de haver um crescimento da protagonista durante a leitura também me agrada.
    Pela capa e sinopse, não leria. Porém, sua resenha me ganhou. Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Também tenho muita curiosa de ler algum livro dessa autora, mas infelizmente esse não me chamou muita atenção, e por enquanto vou deixar passar. Mas que bom que você aproveitou a leitura e amou o livro. Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Nossa que tragédia, tipo, poderia acontecer coisa pior é claro, mas já imaginou você ir se casar e daí do nada seu noivo termina e você tem que ligar PRA TODO MUNDO falando que não vai ter mais casamento ou algo assim? Nossa magina o constrangimento.
    Nossa já imagino o que houve, se foi por isso vou ficar com uma raiva do cão haha, que sacanagem, é muito pra uma pessoa só. Também amei o visual do livro e amo quando eles apresentam letra não muito pequena, folha amarelada e é um pouco "grande", digamos. Sobre o final, já to vendo eu pensando em mil haha, por isso não me dou bem no qual não contam tudo, fico pensando o dia todo naquilo.

    ResponderExcluir
  4. Que triste! A história é legal, mas já sofro por antecedência por ela, sei que o final deve ser ótimo, mas até chegar ao final, deve vim muita decepção.

    ResponderExcluir
  5. Mais um Chick-lit que vai para minha lista de desejados, pela resenha pude perceber que o livro é mesmo bem divertido, assim como todos do gênero.

    ResponderExcluir
  6. Oi Letícia!
    Nossa eu mataria esse cara kkkkk. Como assim me abandonar no dia do casamento?? Não é qualquer uma que aguentaria. Acredito que Mari sofreu muito no início e a partida para uma vida nova não foi algo simples. Não é um gênero que me agrada muito, mas a sua resenha foi bem cativante, principalmente por saber que ela conseguiu seguir em frente.
    Abs!

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada da Leila, mas tenho muita vontade, então como adoro o gênero e saber que dá para acompanhar o crescimento da personagem depois desse drama, fiquei morrendo de vontade de fazer a leitura. E a capa, apesar de diferente das que estou acostumada, me pareceu linda. Foi pra lista!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!