F

21 janeiro 2016

Resenha - Holocausto nunca mais

Título: Holocausto nunca mais
Autor: Augusto Cury
Editora: Planeta
Gênero: Romance histórico-psiquiátrico
Páginas: 575
Ano: 2015

(parceria com a editora)

Sinopse: Nesta publicação, Augusto Cury oferece aos leitores a oportunidade de ler o seu mais importante romance histórico-psiquiátrico, o Holocausto nunca mais, de uma única vez. A nova versão reúne os dois livros que compõem a série - Colecionador de lágrimas e Em busca do sentido da vida -, num único volume. Para esse trabalho, Cury redigiu novo prefácio, em que relembra a importância pessoal desse romance. O fiz com lágrimas nos olhos. Sonho que ele funcione não apenas como um retrovisor da história, mas também como espelho para o futuro da nossa espécie. Escrevê-lo foi um dos maiores desafios da minha vida como psiquiatra, psicoterapeuta, pesquisador, escritor e investigador da história, conta o autor.



O que você faria se pudesse voltar ao tempo e tivesse a chance de destruir Hitler, impedindo assim, a Segunda Guerra Mundial? É nessa viagem ao passado que Augusto Cury irá nos inserir em Holocausto nunca mais. O livro é uma publicação da Editora Planeta, e uma nova versão que reúne os dois livros da série - O colecionador de lágrimas e Em busca do sentido da vida. Portanto, a obra é dividida em duas partes. 

Júlio Verne é judeu e um renomado professor de História, que começa a sofrer com inúmeros pesadelos que o remetem ao passado, onde ele presencia cenas cruéis e desumanas do holocausto. Inconformado, como tantos, ao período sanguinário que foi a Segunda Guerra Mundial, ele pensa estar beirando a loucura e, claro, sente-se culpado por não ter reagido diante de soldados nazistas em seu próprio sono. Sua esposa Katherine, sempre compreensiva, procura não acreditar que seu marido esteja adquirindo problemas mentais. Mas coisas estranhas começam a acontecer, e soldados nazistas tentam matar o professor em pleno século XXI. O casal não sabia que o rumo de suas vidas estava para mudar quando Júlio recebe uma proposta: embarcar em uma máquina do tempo inédita e tentar mudar o rumo da história, especificamente, eliminar Hitler antes da Segunda Guerra Mundial e poupar a vida de 70 milhões de pessoas.

"- Não se culpe... Lembre-se de um dos seus próprios pensamentos: 'Quando a vida está em risco, o instinto de sobrevivência prevalece sobre a solidariedade'..." (p. 21)

O que dizer desse livro e dessa escrita impecavelmente inteligente de Cury? Com uma narrativa em terceira pessoa vamos acompanhar o raciocínio do personagem e viajar no tempo junto com ele. Como um renomado professor de história, Júlio irá passar todo seu conhecimento sobre a Segunda Guerra Mundial, e em toda obra o leitor perceberá a minuciosa pesquisa que o autor realizou, não somente para nos sensibilizar, mas para conhecermos todos os pontos que culminaram a guerra e tentar entender a mente de Hitler. 

Acredito que como acontece em qualquer livro que relata o holocausto, é impossível não se sensibilizar com esse período tão marcante da História. Senti que não somente o autor, mas o profissional psiquiatra Cury, estava muito presente nesse livro, e por meio do personagem Júlio Verne ele foi traçando os contextos históricos, mas focando sempre no psíquico da mente do mais cruel ditador que já existiu. 

Acredito que não dei cinco estrelas para a obra, pelo fato do autor ter soado meio repetitivo em algumas reflexões. Além disso, algumas coisas não se encaixaram e não me convenceram muito. Mas foram ressalvas pequenas e que nada interferiram na magnitude da obra. 


"- Se Deus não existir, ninguém cobrará crueldade dos sociopatas nem aliviará a dor dos que eles feriram... Mas, se Ele existir, a justiça poderá ser feita, pois nesse caso, a vida tornar-se-á um pequeno texto e a morte, por mais violenta que seja, se converterá apenas numa vírgula, pois o texto continuará a ser escrito na eternidade..." (p. 401)

Amei a leitura do livro, que foi extremamente enriquecedora, não somente por ter apresentado detalhes que eu desconhecia, mas também por me fazer refletir ainda mais, o quão perverso o ser humano pode ser. Cury trabalha ainda nossa mente, para quem sabe compreendermos o porquê tantos alemães seguiam e adoravam Hitler, como se o mesmo fosse uma espécie de deus. 

Vale lembrar que esta não é uma obra para se concordar completamente. Muitos pensamentos do autor, presentes nos diálogos de seu personagem, podem não convencer totalmente o leitor. Cabe a cada um refletir sobre cada questão, concordando ou discordando. Holocausto nunca mais é uma brilhante obra do autor, com um alto grau de complexidade e muitas páginas, que devem ser lidas com atenção. Recomendaria leituras paralelas, juntamente com a desse livro.

A parte física do livro está impecável, com folhas amareladas e letras em tamanho ideal. A capa combinou perfeitamente com a obra. A revisão da editora mais uma vez está impecável. 

Logicamente que recomendo o livro para todos que gostam de viajar no tempo, e conhecer mais detalhes sobre esse período da história, assim como a mente de Hitler. Como já citei, é uma obra complexa e reflexiva, mas sem dúvidas, comovente. O que aconteceria se Júlio realmente tivesse impedido a Segunda Guerra Mundial? 




38 comentários:

  1. Sempre tive vontade de ler as obras de Augusto Cury e a resenha aumentou minha vontade de ler mais do autor. Relatar a época de Hitler é algo muito interessante, afinal entender o aspecto psicológico de um homem que marcou o mundo da maneira que foi é no mínimo, envolvente e intrigante. Gostei muito da resenha e dessa indicação!

    ResponderExcluir
  2. Oi, flor.
    Não conhecia essa obra do autor, mas sei da capacidade dele no que se refere à escrita. Com certeza é uma obra interessante e convida a pensar sobre como estaria a nossa história se não tivéssemos enfrentado o Holocausto. Gostei da proposta, mas confesso que não me instigou a ler. :/

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Letícia.
    Faz tempo que não leio uma obra do Cury exatamente porque ele não consegue me convencer por completo, o que me frustra bastante. Porém, como o enredo é chamativo e ainda se trata da Segunda Guerra, talvez eu dê uma última chance ao autor.
    Apesar dos pequenos detalhes, parece ser um bom livro.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  4. eu amo livros relacionados à Segunda Guerra Mundial, mas não gosto da escrita de Cury. Não se a combinação me agradaria... mesmo sendo uma obra ficcional, eu preferia saber as fontes que o autor pesquisou antes de me aventurar com o livro...

    ResponderExcluir
  5. gosto muito desses livros que retratam a guerra e os seus desdobramentos, claro que nessa versão mais ficcional muito me atrai também! como li poucos livros do Cury gostaria de ter acesso a esse!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu tenho sérios problemas com a escrita do Augusto Cury, mas já me surpreendi bastante com alguns livros dele. E esse acredito que será mais um :) Gostei da resenha :)

    Abraços
    Tudo Online - tudoonlinevirtual.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Amiga eu já tinha visto esse livro, mas eu normalmente leio apenas livros de auto ajuda do Augusto Cury sabe? EU nunca li nada assim de estória dele não, mas até que gostei dessa, eu acho que até iria gostar, mas só lendo mesmo para saber. Eu curti muito a diagramação do livro, pois ficou linda. A Editora fez um ótimo trabalho. Espero poder fazer a leitura, mas como estou dando um tempo nas compras por conta da Bienal, eu vou ver se pego em ebook, porque é mais em conta também =x

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/resenha-estrelas-cadentes-nao-dizem.html

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia essa obra do Cury, mas me interessei bastante, pois gosto muito da escrita dele.
    Acredito que a história tem tudo para me agradar, romances sobre a Segunda Guerra geralmente são bons e nos fazem refletir muito, aspecto que me agrada em uma leitura.
    Pretendo lê-lo!
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  9. Que resenha incrível! Eu adoro livros sobre o holocausto, pois é uma forma de entender melhor esse período, e fora que é muito comovente. Amei a premissa dessa obra, e fiquei muito interessada em conferir. Deve ser bastante reflexivo e comovente. Eu amo esse tipo de leitura, já está na lista de desejados!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Ainda não li nada do Augusto Cury mais essa foi uma historia que me surpreendeu principalmente a viajar no tempo pois e alo que não esperava nesse livro e gostei muito do contexto historia e principalmente do modo diferente de falar dele !!

    ResponderExcluir
  11. Oi eu amos os livros do Augusto Cury o primeiro livro que eu li dele foi Nunca Desista de Seus Sonhos, eu amo o jeito que ele escreve e passa a mensagens dos livros pra gente eu não li esse ainda gostei muito da sinopse como sempre sua resenha está incrível bjs.

    ResponderExcluir
  12. Li dois livros do autor, mas já tem bastante tempo. Super me interesso pelos temas de guerra e quero conferir este livro em breve. Acho que é uma característica marcante do Cury essa coisa de insistir em determinadas reflexões, mas entendo que nem todos gostem.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Não tenho um pingo de vontade de ler algo do August Cury, ele é um autor com estilo único, muitas pessoas amam a escrita e as obras dele, faço parte de uma minoria, que não vê nada de diferente nisso. Por isso deixo a dica passar, e outra não gosto de livros que abordem o holocausto, saber que isso um dia existiu me deixa perplexa pela crueldade humana, então passo.

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá! Eu sempre tive interesse em conhecer um pouco mais os fatos por trás das Grandes Guerras e entender o que se passava na cabeça de Hitler e na de seus seguidores, bem como você falou. Eu achei meio confuso o negócio de receber uma carta e viajar no tempo, mas acho que leria a obra mesmo assim, para entender tudo o que o autor quis passar para seus leitores. Amei o comentário que ele fez sobre a obra, assim como também amei o segundo quote que você reservou para a resenha! Sobre a primeira pergunta que você fez na resenha, não sei o que eu faria. Claro que o pensamento da maioria das pessoas diante dessa pergunta é exterminar Hitler, mas o que essa ação desencadearia? De qualquer forma, eu adorei a sua resenha e, se antes eu não tinha interesse pelas obras do Cury, você mudou totalmente minha visão e agora estou ansiosa para conhecê-las.

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Leticia.
    A Segunda Guerra é um assunto que me interessa muito. E achei interessante a questão levantada pelo autor. A edição do livro parece estar muito bonita também. Infelizmente eu não leria por causa do autor. Já li alguns livros dele e infelizmente não gostei.

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Eu ainda não li algum livro do Augusto Cury, mas a temática dessa publicação é bem interessante. O que mais me chamou a atenção para a obra, é que tem os dois livros em um só. Mesmo soando algumas reflexões repetitivas, deve ser um livro que traz muita emoção e momentos para refletir sobre nossas ações. Muito bom!
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  17. Poxa vida, eu desconhecia o título !
    Mas, estou muito interessada em ler.
    Gosto desse tipo de leitura que carrega um fato histórico, mesmo que tenha pequenas alterações para seguir a ideia do autor.
    Beijos.
    Juliana
    http://nossaestantenacional.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Eu ainda não li nada do Augusto, mas minhaminha aia já leu uns 4 livros dele e ama de mais. Eu achei esse daí bem legal, amo coisas relacionados ao o Holocausto, mas só li um livro sobre o assunto, espero poder comprar essa obra tão elogiada pela crítica e com resenhas tão bacanas
    Abçs

    ResponderExcluir
  19. Oi, Leticia! Eu nunca li nada do Augusto, por não ser fã do estilo de livro que ele escreve. Mas esse me deixou tentada a conhecer o trabalho dele, Holocausto é um tema que me atrai muito!!!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  20. Oiie,

    Vejo só elogios das obras de Augusto, mas nunca li nada dele, não por falta de oportunidade mas sim por não gostar do estilo que ele escreve, dos temas. Parabenizo quem leia, mas passo a dica.

    Bjs

    Amantes da Leitura

    ResponderExcluir
  21. Olá,
    Nada a declarar de livros que nos fazem refletir sobre o humanismo... MENTIRA TENHO SIM!
    Caramba, QUE LIVRO! Tinha visto ele em um post de "lançamentos do mês" em um blogger (que não me lembro qual). Fiquei com vontade de ler, mas não busquei resenhas e agora me deparei com uma. Gosto de livro que retratam essa época na ficção e que mesmo assim não deixam de colocar fatos verídicos, pois acabamos tendo um conhecimento maior da história por entrelinhas, mas precisamos saber separar a ficção do real.
    Fiquei realmente interessada para ler esse livro.

    Karine || Ainda Me Livro

    ResponderExcluir
  22. Oii
    Tenho um preconceito com o Augusto Cury. Na verdade nem sei bem porque. Várias pessoas já me falaram bem do autor. Mas não rola uma atração, sabe? Livros sobre o holocausto sempre são ótimas leituras! Acredito que o autor tenha acertado. Apesar de não ter despertado meu interesse!
    Bjus

    ResponderExcluir
  23. Lê!
    Gosto demais de livros que abordam o tema Holocausto, porque sempre nos fazem ver o quanto somos abençoados por não ter vivido naquela época.
    E pelo lado psicológico gosto ainda mais porque podemos ter noção do quanto afetou as pessoas.
    O autor é maravilhoso e um dos meus favoritos.
    “Se não queres que ninguém saiba, não o faças.” (Provérbio Chinês)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  24. Oi Letícia, sua linda, tudo bem
    Uma colega leu o livro O colecionador de lágrimas e amou, desde que ela falou comigo que eu tenho vontade de ler, pois sou uma apaixonada por história e concordo totalmente com você: não tem como não se sensibilizar com esse assunto. O que mais me chamou atenção na sua resenha, foi o fato de a obra ser complexa e de não necessariamente concordarmos com o autor, já percebi que será uma leitura que levantará questionamentos. Sua resenha ficou ótima e não vejo a hora de ler.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Adoro histórias que se passam na Segunda Guerra! Com certeza foi uma época de nossa História que intriga muita gente até hoje. Já tentei ler um livro do Cury e infelizmente foi uma péssima experiência, larguei o livro, mesmo quando já tinha passado da metade, porque os personagens me irritaram muito! (acho que o nome era O Apanhador de Sonhos). Desde então peguei preconceito com o autor e me recusei a ler qualquer coisa dele, mas tá aí um livro que com certeza leria pra quebrar o preconceito que criei.

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  26. Acredita que nunca li nada do Augusto Cury, sempre vejo várias pessoas falando dele, mas nunca li nada. eu tenho uma relação muito maluca com a 2ª guerra. Adoro ler sobre o tema, mas normalmente fico bem mal depois de ler. Mexe demais comigo. Por isso, sempre que quero ler algo sobre, espero um momento onde eu esteja completamente sossega e bem, pra evitar de ficar chorando pelos cantos depois. Adorei a dica, e quem sabe eu comece a ler Cury através desse livro.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  27. Ooi,
    Nunca li nada do autor, mas o tema me deixa mexida só de ler sua resenha. Não sei se leria agora, com certeza eu choraria muito. Gostei da resenha e acho que vou continuar acompanhando resenhas sobre o livro.
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  28. Oii, tudo bem?
    Eu nunca li nada do autora, apesar dele ter algumas obras bem famosas. Eu não conhecia o livro mas a premissa dele é bem interessante e diferente, confesso que no inicio da resenha estava com um pé atrás, mas a sua resenha me convenceu de que é um livro fantastico.

    ResponderExcluir
  29. Oi!
    Nunca li nada do Augusto Cury, principalmente porque o ramo de publicações dele não é o que eu estou acostumada a ler.
    Mas achei esse livro bem diferente das coisas que ele escreve, e imagino que realmente deve ser tocante, já que encara vários temas fortes, principalmente por analizar a segunda guerra.

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  30. Uma das coisas que mais me agrada na obra do Augusto Cury é esse tom reflexivo que ele traz, o que leva o leitor a pensar tanto nas suas próprias atitudes quanto nas dos personagens. Esse livro, em especial, por abordar uma época tão negra da história, deve ser ainda mais chocante e emocionante, então fiquei morrendo de vontade de ler. Foi para a minha listinha de desejados!

    www.nemteconto.org

    ResponderExcluir
  31. Nunca li nada do Cury e não me interesso, desconhecia esse género que ele aborda e imagino que seria algo que não me convenceria de modo algum, principalmente no uso da máquina do tempo pois imagino que usar uma máquina dessas parar matar Hitler não seria o ideal para acabar com as desgraças do século passado ja que ele não era o único com esses ideais sabe? Mas pra quem desse tipo de livro deve ser um prato cheio!

    Giovana blog dei um jeito

    ResponderExcluir
  32. Acho que para esse tipo de leitura é necessária uma certa idade mental, e acho que ainda não cheguei no ponto dessa, hehe. Nunca me interessei muito pelo Augusto Cury, mas adoro história, então posso até tentar ler. Enfim, o livro parece ótimos para psiquiatras, historiadores e leitores no geral que possuem essa idade mental, já que a obra é complexa. Abraços

    ResponderExcluir
  33. Oi! Tudo bem?

    Minha mãe adora o autor, mas eu nunca li nada dele. Acredito que essa seja uma boa obra para começar, pois amei a premissa e a proposta do livro. Quero conferir de perto essa escrita que você disse ser impecável! Gosto de livros que nos trazem reflexões e que mudam nossa visão de mundo.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  34. Tenho experiências com o autor, confesso que não sou uma grande fã. A sua escrita é ótima, mas meio entediante.
    O enredo é interessante, tem uma proposta bacana, mas não me deixou interessada, não é o meu estilo, não é o tipo de coisa que me prende.

    Beijos,
    :)

    ResponderExcluir
  35. Nossa se tratando do Cury achei que era um livro meio auto-ajuda, mas me enganei totalmente, e com sua resenha ele me pareceu um livro muito rico tanto reflexivamente quando historicamente, vou rever meus conceitos e parar de pré julgar um livro antes de conhecer a sinopse.
    Adorei a sua resenha e se tiver oportunidade adorarei ler e conhecer essa história da história.
    Beijos.
    Giuliana

    ResponderExcluir
  36. Livros sobre a Segunda Guerra Mundial sempre são bastante comoventes para mim, acabo me envolvendo e me sensibilizando com todos eles. Augusto Cury é um autor do qual eu já ouvi muito falar, mas que ainda não tive contato, por não gostar do gênero que escreve. Estes dois volumes, em contrapartida, me parecem bastante interessantes e cativantes. Acho que seria uma boa maneira de começar!

    ResponderExcluir
  37. Nunca li nenhum livro do autor e nem relacionado a Segunda Guerra Mundial, mas achei bem interessante. A minha prima adora os livros dele ela tem quase todos e ficou de me emprestar eles, ela vai me trazer na semana que vem, vou torcer para esse estar entre os que ela tem

    ResponderExcluir
  38. Oieee
    Tudo bom?
    Sinceramente eu não gosto da escrita desse autor, já tive a oportunidade de ler alguns livros dele e minha vontade foi tacar pela janela, mas mesmo assim não posso deixar de dizer que sua resenha está ótima.
    Beijos

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!