F

14 setembro 2015

Lendo clássicos - A hora da estrela (Clarice Lispector)


O que é um livro clássico? Para explicar melhor, primeiramente um livro recém-publicado dificilmente é categorizado como uma leitura clássica. Um clássico é, em geral, um livro que representa o período em que foi escrito e que atravessa gerações sem perder seu valor. Portanto, as principais características de um clássico são: não perdem seu valor com o tempo; possuem apelo universal; exercem influência sobre outros autores. Fonte


Título: A hora da estrela
Autora: Clarice Lispector
Páginas: 88
Ano: 1977

Sinopse: A história da nordestina Macabéa é contada passo a passo por seu autor, o escritor Rodrigo S.M. (um alter-ego de Clarice Lispector), de um modo que os leitores acompanhem o seu processo de criação. À medida que mostra esta alagoana, órfã de pai e mãe, criada por uma tia, desprovida de qualquer encanto, incapaz de comunicar-se com os outros, ele conhece um pouco mais sua própria identidade. A descrição do dia-a-dia de Macabéa na cidade do Rio de Janeiro como datilógrafa, o namoro com Olímpico de Jesus, seu relacionamento com o patrão e com a colega Glória e o encontro final com a cartomante estão sempre acompanhados por convites constantes ao leitor para ver com o autor de que matéria é feita a vida de um ser humano.


Com tanta expectativa que eu estava para, enfim, saber o porque este livro era tão querido, eu comecei a leitura de A hora da estrela. Comecei a ficar frustada logo nas primeiras páginas, imaginando que não ia gostar do livro, porque a indecisão de Clarice para começar a história estava me irritando. Mas, qual não foi a minha surpresa é que me rendi aos encantos de Macabéa, ou melhor, desencantos. 

A miséria da alma humana. Isso resumiria este livro. Clarice criou uma personagem pobre, feia, burra, e inocente ao ponto de nem ao menos se defender das ofensas. Acho que fiquei em um grande dilema neste livro. Ao mesmo tempo que queria cuidar de Macabéa, sentia uma raiva por ela não se defender. Conforme o sofrimento da protagonista foi sendo narrado, eu entendi afinal o porque de tanta indecisão para começar a história. 

Quando procurei ver as opiniões de outros leitores no skoob percebi que, ou você ama A hora da estrela ou odeia completamente. Mas além dessa relação de amor e ódio, ou você entendeu o que a autora quis passar, ou não entendeu. Me desculpem aqueles que acharam a obra chata e boba, mas Macabéa é o retrato de todos nós, de como nos sentimos. Quem nunca se sentiu feio, solitário ou desprezado pelo mundo? Irão dizer que somente Macabéa não sabia explicar a própria existência? O final, odiado por muitos, foi finalmente a sua hora de estrela.

"Que sei eu. Se há veracidade nela – e é claro que a história é verdadeira embora inventada – , que cada um a reconheça em si mesmo porque todos nós somos um e quem não tem pobreza de dinheiro tem pobreza de espírito ou saudade por lhe faltar coisa mais preciosa que ouro – existe a quem falte o delicado essencial.”

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Sobre Clarice Lispector

Clarice Lispector, nascida Haia Lispector (Chechelnyk, 10 de dezembro de 1920 — Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) foi uma escritora brasileira, nascida na Ucrânia. Autora de linha introspectiva, buscava exprimir, através de seus textos, as agruras e antinomias do ser. Suas obras caracterizam-se pela exacerbação do momento interior e intensa ruptura com o enredo factual, a ponto de a própria subjetividade entrar em crise.






Postagem relacionada:


19 comentários:

  1. Adoro essa autora tem uma frase dela que eu gosto muito:
    "Mas enquanto eu tiver a mim não estarei só."
    Beijos.
    estantedoluiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Letícia.
    A Hora da Estrela é meu livro favorito da Clarice e uma das obras que mais gosto em toda a literatura. O motivo é exatamente algo que você disse na sua resenha: a obra reflete muito bem a alma humana. Além disso, a escrita figurativa e cadenciada da Clarice me encanta.
    Excelente resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  3. Oi Letícia, tudo bom?
    Não curto muito mas não tem como não lembrar dos tempos de colégio com a Clarice Lispector, não é mesmo?
    Antes eu não curtia muito ler porque eram livros "obrigatórios" e aquela pressão de "ter que ler" era massante.
    Mas hoje eu curto muito e de vez em quando pego uns clássicos pra ler. Meu preferido é Os mIseráveis do Vitor Hugo.

    beijos
    Paulinha
    http://penseira-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhum livro da autora, na verdade não leio clássicos. Essa é a segunda resenha que leio do livro, e na outra também gostaram muito. Achei interessante por retratar o nosso interior, os sentimentos que muitas vezes na vida nós temos. Fiquei querendo ler, porém talvez não leia agora, e sim mais para frente.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  5. Eu não sei explicar mas não consigo ler livros clássicos, é uma leitura que não consegue me prender. Todos sempre elogiam muito a autora, espero um dia gostar desses livros.

    ResponderExcluir
  6. Oi Leticia!!!
    Acredita que nunca li nada da Clarice Lispector?
    Me sinto até um "poser" kkk
    Vou até tratar de pegar um livro dela logo pra ler, pois realmente parecem ser muito bons.
    Inclusive se eu achar este vai ser o que vou ler!!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Li esse livro várias vezes já, e acho impressionante a forma como a autora consegue descrever tão bem a alma humana, a ponto de em muitos momentos conseguirmos enxergar nossas próprias angústias na protagonista. Confesso que o final é minha parte preferida do livro, acho que o desfecho da personagem não poderia ser diferente.

    ResponderExcluir
  8. Confesso que não curto clássicos, mas vi que esse livro aparenta ser incrível. É a primeira vez que o vejo, e pelo seu pequeno resumo, vi que o livro contém um ótimo conteúdo. Adorei!

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li nenhum livro da Clarice, com exceção de um pequeno livro infantil, que me encantou. Pretendo ler algo dela em um futuro próximo e esse me pareceu uma ótima escolha para conhecer a autora.

    Abraços,

    paginou.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oie
    Eu nunca fui a fã número um de clássicos mas sempre tenho que ler alguns pra trabalhos,o que eu preciso ler no Momento é Felicidade Clandestina da Clarice e como nunca li nada dela estou apreensiva.Enquanto eu lia o safado do 105 e via todas aquelas frases da Clarice me deu muita vontade de ir atrás de suas obras.Esse livro dela parece ser ótimo pra quem realmente entende a mensagem que ela quis passar.E esse livro seu é uma edição antiga ou foi lançado recentemente?

    ResponderExcluir
  11. Sempre quis, e ainda quero, ler A hora da estrela da famosa e elogiada Clarice Lispector. O livro está na minha wishlist há um tempo mas sempre coloco um em sua frente para compra. Agora, lendo uma resenha sobre ele pude perceber que estou perdendo uma estória incrível que une raiva e compaixão.

    ResponderExcluir
  12. Oi Letícia,
    Embora a escrita da Clarice seja amada por muitos, eu não nutro tantos amores pelas obras dela, acho que por ter sido obrigada a ler para o colégio e vestibulares, acabei nem lendo "A hora da estrela", vou procurar lê-lo, já que não será uma leitura obrigatória, para ver se eu consigo entender Macabéa.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  13. Eu sempre quis gostar de livros clássicos mas não consigo. Já tentei ler vários mas a leitura não flui.
    Vou deixar essa indicação de livro passar, quem sabe algum dia eu acabe gostando.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Letícia,
    Acredita que nunca li nada da Clarice, é uma vergonha mas é a verdade, mas os livros dela parecem serem bons e lendo a resenha fiquei curiosa para conhecer as obras da Clarice inclusive o A hora da estrela.
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. A Clarice é incrível. Li esse livro obrigada pelo meu professor kkk. No começo achei que não iria gostar, por pensar ser uma leitura difícil, mas acabei amando e me apaixonando pela personagem principal.
    Abraços!
    http://leit0res.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Já li esse livro faz muito tempo e confesso que não é o meu favorito da literatura nacional, mas concordo contigo quando você diz que a Macabéa é um retrato de todos nós. Quem nunca se sentiu meio fora de contexto e tentando se adaptar que atire a primeira pedra, né? Acho que depois dessa resenha vou até reler a obra.

    ResponderExcluir
  17. Eu nunca li nada da autora, sempre leio muito comentários dizendo que suas obras são ótimas, mas nunca tive a oportunidade de lê-los.
    Você me deixou curiosa sobre essa obra, fiquei pensando sera que eu adoraria ou odiaria.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Pobre Macabéa, órfã e sem encantos :(
    Eu já ouvi e li mtas opiniões contraditórias sobre este livro, é bem como tu falou: uns amam outros odeiam.
    mas acho que que não gosta não é porque não entendeu... pode simplesmente não ter sido um bom momento para ler um livro assim. A miséria humana não é algo de fácil digestão.
    No momento, acho que se eu lesse eu ia odiar...
    Que bom que li esta resenha... porque mesmo não sendo o momento, pretendo ler este livro sim!
    Beijo

    ResponderExcluir
  19. Ainda não li nem um livro da Clarice Lispector, somente quotes do tumblr e me encantei com a profundidade e o sentimentalismo que tem na escrita dela, parece que em alguns quotes ela sabia exatamente o que eu estava sentindo e por esse motivo me interessei por esse livro.
    Sua resenha está muito boa e fiquei bem curiosa em relação a história desse livro.

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!