F

08 julho 2015

Lendo Clássicos - Senhora (José de Alencar)

Oi pessoal!
Faz tempo que eu prometo a mim mesma que vou ler os livros que estão "largados" na minha estante, mas com tantas leituras surgindo eu sempre acabo deixando eles para depois. Boa parte desses livros são clássicos, que sempre desejei ler (a maioria eu ganhei na época da escola). Portanto, imaginem quanto tempo os coitadinhos estão esperando para serem lidos e apreciados risos. Então me desafiei a ler pelo menos um clássico por mês, para finalmente não me sentir culpada cada vez que olhe para eles na minha estante. Com isso, fiz desse desafio uma nova coluna no blog (Lendo clássicos), onde irei postar uma vez por mês o que achei do livro.

O que é um livro clássico? Para explicar melhor, primeiramente um livro recém-publicado dificilmente é categorizado como uma leitura clássica. Um clássico é, em geral, um livro que representa o período em que foi escrito e que atravessa gerações sem perder seu valor. Portanto, as principais características de um clássico são: não perdem seu valor com o tempo; possuem apelo universal; exercem influência sobre outros autores. Fonte


Título: Senhora
Autor: José de Alencar
Ano: 1875

Sinopse: Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e pelo dote ao qual teria direito de receber. Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente. Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época. Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade, nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela. A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois.


Que gostoso estar em contato novamente com uma obra clássica da literatura brasileira! A linguagem da época é de certo considerada chata para a maioria dos jovens hoje, o que é uma pena. Há anos não leio uma obra assim, e confesso que desacostumei depois de ler tantos livros mais atuais. E mesmo assim, ainda considero muito importante que a leitura dessas obras sejam mais desejadas por um público geral, afinal é um ótimo livro. 

A sinopse já diz o que precisamos saber sobre a história. A obra tem como plano de fundo a sociedade burguesa da época no Rio de Janeiro e todos os costumes de um casamento, e a maneira que as pessoas achavam conveniente se portar diante da sociedade. Senhora pertence ao Romantismo, e conta uma história de amor (claro), decepção e ambição. Como é uma obra que faz parte do chamado "perfis de mulheres", tem como protagonista uma mulher romântica, mais ao mesmo tempo forte o bastante para virar o jogo diante de uma decepção amorosa. 

"Mas a serenidade que se derrama por toda a sua pessoa, se de alguma sorte desmaia a cintilação de sua beleza, a embebe de um fluido inefável de meiguice e carinho, que a torna irresistível." (p. 14)

Nas primeiras páginas custei a me acostumar com a narrativa, pois como falei, perdi o costume. Mas aos poucos ela vai fluindo e fui notando a grandeza da obra. Se o leitor gosta de viajar para o passado, entender melhor certos costumes, nada melhor que ler um livro em que foi escrito justamente na época que se deseja viajar. Senhora foi escrito em 1875 em uma sociedade completamente diferente, onde eu jamais imaginaria alguém recebendo dinheiro para casar-se comigo (risos).

Enfim, é um clássico da literatura brasileira que recomendo, que vez ou outra devíamos reservar um tempo para ler. Não deveria ser uma leitura obrigatória na escola, e sim algo que chamasse atenção dos alunos (funcionou comigo na época, mas não com todos). Porém, não adianta ler por obrigação, Senhora é um livro que é melhor ler na vontade.

Comprar: Saraiva 
(Este livro não chega nem a R$ 10,00)


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre José de Alencar

José de Alencar (Messejana, Fortaleza, 1 de maio de 1829 – Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 1877), viveu até os 9 anos numa casinha simples no Sítio Alagadiço Novo, quando seu pai, José Martiniano Pereira de Alencar, foi nomeado Senador e a família mudou- se para o Rio de Janeiro. José era filho “ilegítimo” (se é que isso existe) nasceu de uma relação extra- conjugal do pai com uma prima, Ana Josefina de Alencar. Seu apelido de criança era Cazuza. José formou- sem Direito e seu irmão Leonel era diplomata. José de Alencar casou- se com Georgiana Cochrane, filha de um médico inglês, tiveram seis filhos, um deles, Augusto, foi ministro, e Mário, “diziam”, não era seu filho biológico, era filho de Machado de Assis, outro grande escritor brasileiro.




15 comentários:

  1. Oi Leticia,
    José de Alencar facilmente se enquadra na categoria "clássicos". Esse livro mesmo, "Senhora" é a indicação perfeita. Concordo com o fato de que livros como esse não deveriam ser leituras obrigatórias, e sim, opcionais, pois elas também podem nos causar um imenso prazer.
    Li "Senhora" no ano passado e a história é sensacional! Não é a toa que é tão reconhecida.
    Beijos, Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Já li livros desse autor, mas Senhora não está na lista, conheço a história, mas confesso que não sou muito chegada em clássicos pela leitura mais lenta e todas essas coisas, mas gostei do post.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Leticia, confesso que não sou muito fã dos livros clássicos, seilá, mas não consigo fazer a leitura fluir, acho que é por causa da linguagem, sabe? Mas José de Alencar é um ícone dos clássicos, só ouço coisas boas sobre as suas obras, espero um dia ter tempo sobrando para conferir uma de suas obras, quem sabe eu gosto :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Leticia.
    Esse é um dos clássicos que mais gosto da nossa literatura. Um romance interessante, com uma protagonista forte e bem à frente de seu tempo.
    Adorei a resenha!
    Quanto ao preço, eu comprei vários livros dessa coleção na última bienal. Os livros estavam 3 por R$ 10,00.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  5. Eu Le.
    Eu não curto os livros mais clássicos, acho que é por causa da escola, de ter que ler por obrigação. Não superei isso ainda kkkkk.
    Acho que eu demoraria muito para ler e ficaria cansativo.
    Amei sua resenha, você conseguiu passar perfeitamente seu ponto de vista.
    Amei
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá, nossa que gostoso ver a resenha de um livro assim, adoro os clássicos mas esse eu ainda não li e sua resenha me permitiu conhecer um pouquinho, preciso voltar a ler esses livros pois sinto falta.

    http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Amiga olha eu gostei bastante de tudo que você desenvolveu sobre o livro, mas eu sinceramente não sou
    muito de ler esse gênero sabe? Eu sou mais chegada nos livros atuais, sem julgar, pois eu tive um pouco de trauma desde a escola após ler alguns clássicos hahahaha...Mas mesmo assim quem sabe eu ainda venha ler alguma coisa apenas para quebrar o TABU =x

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-minha-querida-aline.html

    ResponderExcluir
  8. Olá Letícia.
    Também acredito que deveríamos ler mais os clássicos para entender algumas coisas que fizeram parte da sociedade antigamente. Realmente a obrigatoriedade da leitura de certos livros durante a escola pode traumatizar o leitor e fazer com que ele deixe de ler uma excelente obra por causa da imposição. Livros devem ser lidos quando se tem vontade. Devemos sim despertar o interesse e não forçar goela a baixo.
    Muito boa a sua resenha e este ainda não tinha lido!
    ;)

    ResponderExcluir
  9. Oi Letícia, tudo bem?
    Faz tempo que não leio um clássico nacional! Eu lia muito em minha adolescência, principalmente os do José Lins do Rego que eu me lembro que adorava!
    Não li Senhora ainda, mas quem sabe futuramente não faço essa leitura...

    Beijos :*
    http://livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi, infelizmente não leio clássicos e acho que deve ser mais lido. Também quero começar a lê-los com certa frequência e até achei interessante esse livro, ainda não havia ouvido falar dele. Bjus.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Letícia! Tudo bom? Gostei do formato desse seu post, de destacar que o livro é um clássico e etc.
    Até um pouco antes de ler sua resenha, sempre havia achado que nunca mais me interessaria por um livro do José depois de ter me decepcionado profundamente com Iracema. Mas Senhora parece-me muito bom depois de tudo o que tu disse.
    Devo destacar uma parte importante da tua resenha e dizer que concordo profundamente quando tu diz que esse tipo de livro deve ser lido por vontade própria, e não por obrigação na escola.
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  12. Esse foi um dos livros que tive que ler para o colégio. E com toda a pressão de cumprir data e ter que fazer uma prova, acabei não aproveitando muito da leitura. No entanto, José de Alencar não é um dos meus escritores clássicos preferidos. Eu gosto da história, do que ele conta, mas não da forma como é contada, sabe? hehe Não curto muito o estilo de escrita dele. Prefiro mais o estilo do Machado de Assis. ^^

    ResponderExcluir
  13. Oi Letícia!
    Falou em clássicos e Romantismo eu já penso em José de Alencar, ele está em tudo!
    Estou na época do colégio, mas não tive que ler Senhora, mas sim Til, do mesmo autor (eu não li inteiro, hehe).
    E realmente, ler clássicos por obrigação não funciona muito não.
    Beijo.
    Choque Literário

    ResponderExcluir
  14. Olá! Então, eu sei que ninguém gosta de clássicos, inclusive eu. Porém, sempre tem que dar a chance até porque é a literatura do nosso país, e cai muito nos vestibulares. Porém não é o tipo de livro que me estimula.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Eu gosto de ler clássicos... Senhora ainda não li mas sempre tive vontade para ler, qualquer hora vou comprar para mim... gostei da ideia da nova coluna do blog, bem legal!
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!