F

16 abril 2015

Resenha - Meia-noite em Bhopal

Título: Meia -noite em Bhopal
Autores: Dominique Lapierre e Javier Moro
Editora: Planeta
Páginas: 360
Ano: 2014
Skoob

(parceria com a editora)
Sinopse: Uma empresa tão inocente quanto uma fábrica de bombons. As festas e as alegrias dos deserdados de uma favela. Eunucos e princesas que enfeitiçam os engenheiros norte-americanos. Um trabalhador louco por poesia que desencadeia o Apocalipse. Médicos heroicos que morrem envenenados fazendo boca a boca nas vítimas. Uma recém-casada que se salva das chamas de uma fogueira graças ao pequeno crucifixo que leva ao pescoço... Centenas de personagens, de situações e de dramas se mesclam neste afresco exuberante de amor, heroísmo, fé e esperança.

Meia-noite em Bhopal é um livro que estava algum tempo na minha lista de desejados, e foi gentilmente cedido pela Editora Planeta. Foi uma leitura de tirar o fôlego, onde pude conhecer tão detalhadamente a catástrofe industrial mais mortífera da história.

A leitura do livro já iniciou com uma narrativa rica em detalhes. Os anos que antecederam o desastre que ocorreu na unidade Union Carbide na Índia, nos é revelado com clareza logo nas primeiras páginas e todos os eventos até a instalação da ''bonita fábrica'' em Bhopal. Inúmeras pragas assolam as vastas plantações no solo da Índia, e a fábrica, com seus inúmeros interesses em jogo, ganha prestígio com a criação do pesticida Sevin.

É impressionante a sucessão de erros que acontecem, e como uma fábrica reconhecia mundialmente por sua segurança, culmina ao abandono. Engenheiros empenhados que alertaram sobre a segurança precária que a fábrica vinha apresentando, a morte de um funcionário, pequenos vazamentos de gases, um jornalista que alertou sobre a catástrofe apocalíptica que estava por vir, o abandono da fábrica, a desativação de setores de segurança, e o mais importante, uma administração inexperiente, são os principais pontos que nos levam a entender tamanho desastre. Uma nuvem de gás tóxico escapa da fábrica, meia-noite e cinco em 3 de dezembro de 1984. O resultado é milhares de mortos envenenados pela nuvem tóxica. No início se contaram três mil mortos e duzentos mil feridos, mas entre os que padeceram posteriormente devido a tragédia, este número pode chegar a trinta mil mortos.



" - Não tem nada a temer, querido senhor Muñoz. Sua fábrica de Bhopal será tão inofensiva quanto uma fábrica de tabletes de chocolate.'' (p. 102)

Com uma narrativa em terceira pessoa, o livro traz personagens reais e toda sua trajetória até a tragédia, o que nos permite nos sensibilizarmos com cada um deles. A instalação da Union Carbide em Bhopal foi por um bom tempo o sonho de inúmeros habitantes, com esperança de empregos e uma vida melhor. Um sonho desfeito em uma noite mortífera. A descrição das cenas que sucedem o desastre, são angustiantes, com tantas mortes e a rapidez que elas acontecem. A relutância da Union Carbide em revelar o verdadeiro composto químico usado para a produção do Sevin, impediu que as pessoas fossem tratadas adequadamente. O isocianato de metila, um composto tão poderoso, que até então ninguém tinha ousado produzir.

A diagramação do livro é simples, com folhas amareladas e letras legíveis. A capa foi o que me agradou desde o início e está de acordo com o conteúdo. Os capítulos não são longos, e os autores escrevem com muita clareza para que o leitor possa ter uma vasta visão da catástrofe.


"Todo mundo sabe disto: o amor é cego. Sobretudo quando o objeto da paixão é um monstro industrial como uma fábrica de produtos químicos." (p. 193)

O que mais me comoveu neste livro foi conhecer os personagens e a maneira que todos foram afetados. No final do livro os autores acrescentam como cada um deles se encontra atualmente, depois de 30 anos da explosão dos gases. Me senti muito envolvida com a história, que até então eu só tinha ouvido falar vagamente. Como os autores citam no livro, as vítimas continuam sofrendo as consequências de saúde, mesmo depois de três décadas, e os responsáveis por tudo continuam impunes.

Nota-se como os autores fizeram uma minuciosa pesquisa sobre os cenários, e os personagens reais que escreveram e ainda escrevem esse capítulo tão traumático para a Índia. Com este livro eu me senti comovida com as vítimas, e indignada de como muitas pessoas, talvez cegas demais com o prestígio e dinheiro, negam um perigo iminente, cometem tanta negligência e desconhecem a ética. A população afetada não recebeu sequer um pedido de desculpas.

Meia-noite em Bhopal é um livro para quem se interessa em um assunto mais denso, e rico em detalhes. Vale a pena para quem quer entender melhor (e como vai entender!), esse acidente que aconteceu em Bhopal, na Índia, e descrito como o pior desastre industrial acontecido até hoje. Sou suspeita, pois amo esse tipo de livro. Eu recomendo!

Comprar: Editora Planeta | Saraiva


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os autores



Javier Moro colabora desde muito jovem com a imprensa nacional e estrangeira. Viveu muitos anos nos Estados Unidos, onde trabalhou como roteirista com diretores como Ridley Scott. É autor de vários romances, entre os quais se destacam Caminhos de liberdade, O pé de Jaipur e As montanhas de Buda, lançados pela Editora Planeta.





Dominique Lapierre doa grande parte da renda arrecadada com suas obras para ações humanitárias em Calcutá, nas zonas rurais mais pobres do delta de Ganges, em Madras e em Bhopal, doações detalhadas no fi nal dessa obra. Em Bhopal, especificamente, e dadas as devastadoras consequências que o desastre químico narrado nesta obra tem sobre o aparelho reprodutor das mulheres, Dominique Lapierre criou uma clínica ginecológica para vítimas sem recursos, com o intuito de incentivar o diagnóstico precoce do câncer genital.



Siga o blog nas redes sociais:
 Facebook  |  Skoob  |  Twitter  | Youtube | Instagram




25 comentários:

  1. Ah! adoro ler e ter dicas de livros bons é tudo de bom.bjs

    ResponderExcluir
  2. Que coincidência !
    Ontem vi pela primeira vez esse livro , e fiquei bem interessada então hoje quando entrei no blog vi que você postou resenha do "Meia noite em Bhopal" ! O resultado não podia ser outro , agora eu quero muito esse livro ....

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Leticia.
    Desconhecia por completo esse livro até ler a sua resenha. A premissa é interessante e eu fiquei curioso para saber como tantas histórias se mesclam. Sem falar que essa quantidade de mortos por um gás tóxico me chamou a atenção. Certamente vou querer ler a obra.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de abril. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não conhecia esse livro mas já foi desejo a primeira vista. A capa está uma graça e adoro histórias que se passam na Índia. Se der vou comprar com certeza. parabéns pela resenha.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Adoro ler sobre culturas e países distantes do nosso, e esse livro colocarei nos meus desejados, me interessei e desconhecia sobre...obrigada por compartilhar conosco!

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  6. Oi Letícia, eu não conhecia esse livro, nem sabia desse acontecimento, acredita? Mas gosto de entender as coisas que aconteceram em nossa história, e fiquei curiosa para ler também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Le tudo bem ?

    Nossa nunca tinha ouvido falar desse desastre na Índia que coisa mais doida hein matar tantas pessoas, apesar de ser o tipo de livro que eu gosto acho que ficarei com receio da escrita pois normalmente esses livros costumam ser mais demorados para ler né.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olha eu não sou muito chegada nesse tipo de livro não, mas gostei bastante
    de tudo que você abordou em sua resenha. Me pareceu bastante interessante, mas eu não sei se pegaria para ler não =x
    Outra coisa, estou tão triste de saber que essas belas resenhas vão sair do meu blog =[
    Poxa, minha melhor amiga. Uma fica e a outra sai. Mas mesmo assim ainda tenho esperanças de que vc mude de ideia, nem que for de vez enquando =[

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/resenha-lista-de-brett.html

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bom?
    Me impressionei pelo assunto, quem vê a capa tem uma ideia totalmente diferente do que ele realmente é, gosto de histórias assim, que são complexas e mais densas e te passam para um enredo que te deixo totalmente imerso, muito boa a sua resenha e perfeita a dica, nunca tinha ouvido falar do livro mas agora estou muito interessado.

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Leticia,
    os blogs por aqui estão cada vez mais bonitos!!!
    Estive afastada da blogsfera mas agora estou de volta e com um novo espaço, passa lá depois!!!

    http://blogsimplifique.com.br/

    bjs

    ResponderExcluir
  11. Achei a história comovente mesmo, mas não é muito meu tipo. rsrs
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. MEU DEUS, ESTOU DESMAIADA
    Preciso urgentemente desse livro, que incrível. Comovente. Forte.
    Dominique é um exemplo de ser humano, que maravilha o que ele faz.
    Indo agora mesmo procurar esse livro.
    Muito obrigada por essa dica valiosa.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Gente, amo esses livros revolucionários, preciso ler,sério...Amo muito essas coisas de heróis e dor,apocalipse.

    ResponderExcluir
  14. Letícia!
    Livros baseados em fatos reais sempre me atraem porque fogem da fantasia que estamos acostumados a ler com mais frequência e nos trazem a realidade nua e crua de uma situação em que nem temos noção de como é.
    Saber que por negligência de uma pessoa, após 3 décadas os envolvidos ainda sofrem as consequências dos atos de um irresponsável é revoltante.
    Gostaria muito de ter oportunidade de ler esse livro.
    Bom final de semana!
    “O segredo da felicidade é encontrar a nossa alegria na alegria dos outros.” (Alexandre Herculano).
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Depois que li Fuja, Coelhinho, Fuja, comecei a me interessar muito por livros com essa temática, ainda mais quando os personagens são reais e fortes como acho é nessa narrativa. Acho que livros assim acabam tendo uma carga emocional muito maior e isso prende mais o leitor.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia o livro, o fato de ser baseado em história dão um plus para mim. Saber de tudo o que aconteceu e após tanto tempo as pessoas ainda sofrem é muito revoltante.

    ResponderExcluir
  17. Oi Le! Eu não sabia sobre este desastre, que coisa horrível deve ter sido para estas pessoas, pelo visto é um livro muito interessante e acredito que choraria lendo, só a resenha já me deixou emocionada. Dica anotada,

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro e gosto muito desse tipo de leitura. Não conhecia nem o acidente industrial, para falar a verdade. Acho magnífico o trabalho de reconstrução que autores como esses fazem para narrar tudo da forma mais verossímil possível. Com certeza vai para a minha lista de desejados.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Não conhecia o livro, mas parece se super interessante principalmente pelo fato do desastre ter acontecido mesmo, se tiver oportunidade co certeza vou ler esse livro.
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Oi, Letícia!
    Eu não sabia sobre esse desastre, mas imagino, pelo que acabo de ler aqui, que tenha sido realmente horrível.
    Fico com o coração apertado de imaginar tantas pessoas sendo massacradas dessa maneira.
    Eu não sou muito fã desse tipo de leitura, mas fiquei curiosa sobre a história.

    Beijinhos!
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  21. Oie, tudo bom?
    Nossa, porque não li esse livro ainda? Adoro leituras que contam histórias reais e grandes desastres. Eu conhecia o livro pela capa, mas não sabia qual era a proposta da narrativa. É incrível pensar nas pessoas que sofreram com esse desastre.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Cara....Amo/sou
    sério,viu?
    achei incrivel

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?

    Eu não conhecia esse livro e sei muito pouco sobre esse acidente, mas fiquei muito interessada em ler o livro e descobri os detalhes e saber mais sobre as vítimas.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oi, Letícia!
    Também gosto desse tipo de livro. Parece que eles nos fazem crescer, né? Porque nos passam experiências sérias do mundo, e nos fazem refletir mais sobre a vida.
    Adoro a cultura oriental. A Índia tem uma cultura belíssima, mas é cada vez mais comum ver matérias falando das dificuldades de vida de parte da população. Dentro do próprio país, de indiano para indiano há problemas... E agora mais uma comprovação: a presença constante de estrangeiros novamente, modificando a cultura e gerando danos. Danos atrás de danos. Egoísmo gerando mais egoísmo.. :/ E isso é muito triste.
    Gostei da ideia do livro, das informações contidas nele. É como um alerta. Pena que livros assim geralmente recebam tão pouca atenção da maioria das pessoas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Oi Lê, tudo bem?

    Bom eu não curto muito essas leituras... porém devo ressaltar que elas são muito ricas... elas nos trazem informações de acontecimentos em nosso mundo e onde a crueldade do ser humano pode chegar em busca de poder... pelo que li de sua resenha esse povo sofreu muito com as consequência disso tudo que rolou... eu admiro que curte esse tipo de leitura e todas as reflexões e aprendizados que ela traz... xero!!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!