F

17 fevereiro 2015

Resenha - Um gato de rua chamado Bob

Título: Um gato de rua chamado Bob
Autor: James Bowen
Editora: Novo Conceito
Páginas: 240
Gênero: Não ficção
Ano: 2013

Sinopse: Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks). Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados.



''Ouvindo seu ronronar suave no escuro, senti-me bem por tê-lo ali. Era uma companhia, eu acho. Não tinha muito disso ultimamente.'' (p. 16)

Finalmente li Um gato de rua chamado Bob, que estava há algum tempo parado na minha estante. Mas, por vezes, escolhemos a leitura no momento certo, e foi o que aconteceu comigo. Lançado pela Editora Novo Conceito, ele traz a história da amizade de um homem e seu gato.

O livro conta a história de James, o próprio autor, e como sua vida começa a mudar depois que encontra Bob. Sua vida até o encontro com o laranjinha, como chamava Bob no início, era cercada de desesperança. Uma série de eventos, o levaram a viver nas ruas, e virar dependente químico. Agora, o que ele tentava, era recuperar sua vida, conseguir ganhar o suficiente para pagar suas pequenas despesas e viver uma vida limpa, longe das drogas.

Bob apareceu no momento certo. Quando o encontrou, James percebeu que a vida do gatinho também não parecia ter sido fácil. Depois de cuidados veterinários, e claro, toda atenção que nosso autor depositou nele, Bob foi se recuperando das feridas que tinha no corpo e passando a confiar cada dia mais nele. Porém, após sua recuperação, James deixou o gato livre para seguir seu caminho, e para sua surpresa, essa não era a intenção de Bob.


''Ela mal olhou para mim e não jogou nada no estojo da guitarra. Mas tudo bem. Eu estava começando a amar o modo como Bob parecia ser capaz de iluminar o dia das pessoas.'' (p. 77)

''Ninguém estava interessado em mim, é claro. A primeira coisa que diziam quando nos viam novamente era: 'Como Bob está hoje?'. Ninguém nunca perguntava como eu estava. Mas tudo bem, isso era de se esperar. Sabia que o ar de nobomia não duraria. Nas ruas, nunca durava." (p. 151)

A partir do momento que ele percebe que, Bob é de fato seu mais novo animal de estimação, acompanhamos as aventuras de ambos pelas ruas de Londres, onde James tenta ganhar a vida com sua música. Nada será mais fácil, mas com Bob ao seu lado, ele sente que não está sozinho.

Rapidamente Bob e seu dono ficam conhecidos, mas não são todos que o respeitam. James é humilhado, acusado injustamente de inúmeras coisas, quando somente quer voltar para casa com suas libras ganhada honestamente, para alimentar-se e alimentar Bob. Fiquei pensativa quanto a tantas injustiças, e com a leitura desse livro não tem como não ver a vida nas ruas, por outros olhos.

'' - Na verdade, creio que tenha tudo a ver com isso. Até onde eu entendo, Bob é meu filho. Ele é o meu bebê. E a senhora me perguntar se eu aceito vendê-lo  é exatamente o mesmo que eu lhe perguntar quanto a senhora quer pelo seu filho mais novo." (p. 217)



A narrativa é feita em primeira pessoa, e sendo James um autor inexperiente, achei que sua escrita foi muito fluída e clara. Para podermos entender como o gatinho mudou sua vida, precisamos entender seus medos e a maneira com que vivia. A diagramação da editora como sempre impecável. As páginas são amareladas, e a fonte em tamanho ideal.

Sou fã de animais, particularmente cachorros, mas tem como resistir a esse gatinho na capa? Adorei ler as aventuras que Bob viveu ao lado de seu dono, e sentir essa sensação de que o amor cura tudo. Um ajudou o outro, de qualquer forma, e foi muito legal ver como um homem pode enxergar tudo com otimismo, tendo uma companhia verdadeira e leal como Bob.

Com a leitura desse livro, certamente pensei nas atitudes das pessoas. James, com tão pouco que tinha, pagou o que podia para recuperar Bob. Acredito que a melhor ajuda, não é de quem tem muito dinheiro para dar, mas quem tem o melhor dentro do coração e doa aquilo que pode, pois sua intenção é ajudar o próximo. É muito legal ver como Bob chama a atenção do público rapidamente, e muitos passam a ajudar James diariamente. Mas também chega a ser irônico como as pessoas se sentem atraídas pelo gato, lhe dando brinquedinhos e guloseimas, e como a atenção era muito menor quando o homem estava sozinho. Será que isso não é um cenário real, do que acontece com nós mesmos?

Este livro, só confirma o que sempre digo: um animal pode curar as feridas de um homem, mesmo quando o mundo parece estar contra ele. Não tem como não recomendar a leitura desse livro, até para quem não gosta de animais. Além disso, uma história real assim, é no mínimo comovente. Bob não é um gato comum e, quando se tem um companheiro leal ao seu lado, há sempre esperança.


Imagem: Google

Comprar: Saraiva | Submarino

Siga o blog nas redes sociais:
 Facebook  |  Skoob  |  Twitter  | Youtube | Instagram

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O autor

James Bowen nasceu na Inglaterra em 1979. Depois do divórcio de seus pais, ele se mudou, com sua mãe e seu padrasto, para a Austrália. Sua vida familiar foi sempre muito tensa e com constantes mudanças de casa, o que o levou a não se adaptar nas diferentes escolas pelas quais passou. O garoto-problema, que era frequentemente vítima de bullying, logo começou a usar drogas. Mais tarde, recebeu o diagnóstico de TDA/H, esquizofrenia e distúrbio bipolar. le e o gato Bob se conheceram em 2007 e desde então nunca mais se separaram. James também é autor de “Um Gato de Rua Chamado Bob” e “O Mundo pelos Olhos de Bob”.



26 comentários:

  1. OI Leticia!

    Sou apaixonado por animais e tenho certeza de que esse livro derreteria meu coração; Ainda não o li porque não tive a oportunidade, mas está na lista. Beijo!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, sempre vejo esse livro na livraria, tenho curiosidade de lê-lo. Quase chorei só lendo a resenha, imagina o livro! Amo gatos, outro livro que quero ler é os gatos nunca mentem sobre o amor (algo assim é o título, não me recordo ao certo agora).
    Parabéns pelo post, muito bom.
    Caso tenha interesse e tempo, conheça meu blog: http://blogandressabruske.blogspot.com.br/ escrevo sobre livros também.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito ler esse livro. Mas acho engraçado, o ser humano não olha para outro ser humano com o amor que olha para um animal. Não deveria ser assim, deveríamos olhar para tudo e todos com amor. Amei sua resenha. Você escreve muito bem. =D

    http://meninadeparis.com

    Beijos

    Fique com Deus

    Dayana

    ResponderExcluir
  4. essa é uma verdadeira história de amizade que me surpreendeu pelo apego que James mostra e passa para o leitor em quesito de carinho com Bob, o gato é mais que um gato, ele é da familia

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Deve ser super emocionante esse livro, já quero para mim.
    Uma linda história de amizade e lealdade, amo os animais!
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Comprei esse livro ano passado e até hoje está parado na estante! Sempre passo alguma outra leitura na frente dele, não sei porque! Sua resenha está linda, a história deve ser mesmo muito comovente. Eu amo animais e concordo quando você diz que um animal pode curar as feridas do homem! Acho que por a história ser real, deve ser ainda mais comovente!


    beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Nosaa. parece uma historia muito bonita.. geralmente gatos nem são tão apegados aos donos.. são mais frios.. mas Bob.. parece ser um amorzinho...

    ResponderExcluir
  8. Eu estou muito ansiosa para me aventurar nesse livro, me parece ser (como sua resenha mostrou) uma história contagiante e muito bonita!
    Eu sou muito esperta só comprei o segundo livro :/ Tenho que comprar o primeiro ainda kk
    Bela resenha
    Beijos,
    Aly
    www.meusdespropositos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Lê, eu li esse livro e achei mega emocionante.
    Não tem um momento que não deixa de sê-lo. A forma como James conduz a narrativa é de cativar o leitor, realmente.
    A capa nos chama a atenção logo de cara.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  10. Confesso que fujo de livros e filmes que possem animais. Sou a maior chorona, então me acabo em lágrimas. KKKKK Se só a resenha eu já achei linda de doer, fico imaginando como vai ser se eu ler o livro. Vou colocar na lista, já preparada para pegar o lenço.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Nunca fui muito fã de gato, mas minha visão mudou depois de conhecer Bob.
    Me encantei com esse gatinho e como ele foi capaz de mudar e dar um rumo e um sentido
    na vida de James.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bom?
    Eu tenho esse livro há mais de um ano depois de tantas recomendações de uma amiga minha. Eu também prefiro os cachorrinhos, mas acredito que os animais de estimação conseguem trazer alegria para nossa vida. Acredito que o autor e protagonista dessa história aprendeu e cresceu com o Bob.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. esse livro deve ser lindo, ainda nao li mas com certeza tudo que fala de animais deve ser recomendado! <33

    http://www.jacknuit.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Adoro histórias comoventes, mas apesar do que você disse a respeito do livro, não sinto tanta vontade de ler.

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  16. Oi Le! Eu sou apaixonada por gatos e este livro foi uma leitura deliciosa, consegui me conectar com a trama e entender perfeitamente como o James sentiu-se em relação ao Bob.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  17. Ahhhh esse livro é lindo e a história é tão bonita... incrível como esses animais nos ajudam e nos amam sem amarras. Refleti muito com a vida do James. Acho que todo mundo deveria ler esse livro

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Lê, tudo bem??

    Bom eu gosto de gatinhos... acho eles fofinhos, pentelhos e espertos... e mesmo que eu goste a temática do livro não me atrai muito sabe? Eu ainda fico indignada de ver algumas pessoas ter prazer em humilhar as outras pessoas... eu sou admiradora da arte desde que ela seja feita com honestidade... e sim adoro arte de rua... e sempre que posso ajudo... na avenida Paulista em São Paulo tem muito disso... uns bons e outros mais ou menos... mas todos ali em busca de seu sustento de forma livre. Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oie Le!

    Não tinha pretensão de ler essa obra, pois tinha me dado mal com um livro com uma cachorra rs, mas depois de sua resenha é impossível não querer conhecer a trama.

    Beijos Fê
    http://www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  20. Oi, Letícia!

    Gostei muito da sua resenha, você refletiu bem sobre o livro. Ele está na minha estante quietinho também. E acho que a sua resenha foi o que me incentivou a pensar em tirá-lo dela como uma das próximas leituras. Uma história real assim é com certeza comovente. As injustiças, a solidão... a indiferença de outros seres humanos. Um ex-professor meu, de português, fez um texto uma vez, comparando um cão negro com um homem negro, mostrando como as pessoas dão mais oportunidades ao animal que ao ser humano. Acho que isso é também uma armadura que a população aprende a ter. Desde cedo somos educados a temer e a desconfiar de tudo. E que simpatia é sinal de fraqueza para quem é mau. Aí quando nos deparamos com um desconhecido, desconfiamos e julgamos. Não seguimos o "fazer o bem sem olhar a quem". Enquanto o animal é mais confiável. Eu coloquei na cabeça que quero melhorar isso em mim, o amor ao próximo. Amar quem está perto de nós, nos é conhecido, parece mais fácil para mim no momento. Mas amar estranhos, com amor ao próximo, e fazer algo bom por eles, nem que um sorriso... nos nossos dias parece algo muito mais difícil, porque bate de frente com o instinto de sobrevivência algumas vezes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Nunca li o livro, mas a história parece ser comovente e tenho muita vontade de ler. Linda a última foto que voxê postou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Oi Lê tudo bem ?

    Eu já li esse livro e ao contrário de você não consegui gostar do livro, achei a narrativa muito chata e esperava uma história mais detalhada na recuperação do dono não só na história do gato , realmente o gato é lindo e uma fofura mas infelizmente não gostei da história esperava muito mais .

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  23. Esse livro é simplesmente um dos meus favoritos pra toda a vida. Como não amar essa bola laranja? Impossível!

    www.leitoraindefinida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Amo esse livro! Li ele em dois dias, comovente e inspirador. Ver duas vidas serem transformadas é algo para se comemorar.
    Gostei da sua resenha e do blog, parabéns!
    LivreandoFacebook

    ResponderExcluir
  25. Oi leticia nossa mto legal o livro eu pensava que ele era bem chato por se tratar de falar de animal e tal, mais vi que uma historia de amizade incriveel, nossa ate me deu vontade de ler rsrsr, amei mtoo comovente e emocionate deve ser incrivel..
    bjos

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo ao meu blog.
Sua opinião é muito importante, mas se lembre que respeito é bom e eu gosto!
Seguiu? Deixa o link que eu sigo de volta. E também retribuo os comentários.

Obrigada por vir até meu cantinho!